Versículos Isolados

Compartilhe

 

Recebi, ainda ontem, um texto, enviado por Rafael Santos que apresentou o seguinte questionamento:
 
“Considerando que a Bíblia é a Palavra de Deus e que todo seu conteúdo é inspirado, por favor me responda se há versículo isolado na Bíblia. Por que isso acontece. E como interpretar versículos que não se encaixam no contexto ou textos que contrariam a ideia geral da Bíblia? Se precisar posso citar algumas referencias como exemplos. Fico agradecido pela atenção”.
 
Tão logo tomei conhecimento do questionamento eu lhe pedi:
 
“Se for possível, cite uns dois exemplos…”
 
No mesmo dia ele respondeu:
 
Em Dt. 9.10 está escrito que Deus escreveu as tabuas da lei com seu proprio dedo. Em Ex. 34. 27 e 28 lê-se que foi Moisés quem escreveu os dez mandamentos. Já quem em Dt 10. 1-2 temos afastada a hipótese de Deus ter escrito uma Moises a outra, como compatibilizar essas duas informações?
 
A genealogia de Jesus descrita em Lucas não combina com a que se lê em Mateus. Em Lucas Jesus é neto de Elí,( Lc. 3.23) já em Mateus seu avô é Jacó ( Mt. 16) Ainda lemos Salomão em Mateus mas em Lucas ele é substituido por Natã.  Quem era o verdadeiro avõ de Jesus e porque Salomão foi substituído?
 
Em Lc. 16 1-9 lemos sobre o Mordomo Infiel. No versículo 8 diz que o servo infiel foi louvado por sua prudencia, sinceramente eu só ví injustiça e corrupção do servo. O versículo 9 diz que jesus não só aprovou a conduta do servo infiel como a recomendou aos seus discípulos, falando sobre encontrar amigos da injustiça nos céus. Não entendí como esse texto pode ser entendido pelos principios gerais da bíblia. se for necessário trarei mais exemplos. Obrigado pela atenção.
 
A minha resposta a este questionamento é a seguinte:
 
Bem, meu irmão Rafael, se espaço lhe for dado você citará inúmeros textos como esse que transmitem a idéia de incoerência. Todavia, eu gostaria de começar lhe respondendo a primeira pergunta que você me fez:
 
“por favor me responda se há versículo isolado na Bíblia“. 
 
A teologia chama de versículos isolados, textos que, supostamente, servem de base para formação de uma doutrina. Os casos que você citou, com exceção do texto de Lucas, nenhum se encaixa neste caso. Não há qualquer doutrina que possa ser formada a partir dos textos que tratam sobre quem foi que escreveu nas tábuas da Lei, nem sobre a genealogia de Cristo. Então deixemos esses dois assuntos para mais tarde. Falemos exclusivamente sobre os tais “versículos isolados”.
 
Para mim, texto isolado é um texto que não está na Bíblia. A Bíblia é toda harmoniosa. A unicidade da Bíblia é o que a torna diferente e especial. É a prova irrefutável de que seu autor é um só – Deus. Em Deus não há contradição. Todo e qualquer texto que tenha um conteúdo que possa ser transmitido à Igreja como ensinamento, certamente encontrará um contexto, próximo ou distante que possa torná-lo uma parte de um todo. Se determinado versículo não contém correlação com o ensinamento geral da Bíblia não deve constituir base para formação de um ensinamento/doutrina. A interpretação de um texto deve ser submetida ao escrutínio da própria Escritura. Qualquer que seja a interpretação, se não estiver em harmonia com a linha de raciocínio geral da Bíblia deve ser rejeitada. Há suspostos mestres da teologia que são hábeis para formar uma idéia e transmiti-la como um “mandamento”, baseando seu raciocínio em uma idéia contida em apenas um texto. Não é o texto que é isolado, foi a interpretação equivocada que tornou aquele um texto isolado. Ou, em alguns caso, o texto é isolado porque em algum momento ele sofreu uma alteração, seja no ato da tradução, seja porque alguém, propositalmente ou não, o incluiu no cânon sagrado em algum momento da história do Cristianismo.
 
O texto de Lucas 16, que você citou é um exemplo claro disto. A doutrina contida neste texto serve, claramente, como base de formação da doutrina da reencarnação e que, a propósito, não encontra apoio em outras partes da Bíblia. Quando eu comentei a parábola do mordomo infiel que você poderá ler na coluna Estudos Bíblicos/Temas Polêmicos,  no texto “Granjeai amigos com as riquezas da injustiça”, eu disse que, em minha opinião esse texto não deve ter feito parte dos originais e eu não acredito que Jesus tenha proferido essa parábola uma vez que ela entra em choque com toda a Escritura. Posso estar enganado. Se eu estiver um dia saberei e me retratarei. Mas, acredito que ou Jesus nunca proferiu essa parábola ou ela sofreu sérias alterações ao longo dos séculos. Lucas 16. 1-9 não está em harmonia com a mensagem do Evangelho.
 
Portanto, esse, que poderia ser considerado um texto isolado, para mim não o é porque, creio eu que ele não faz parte do cânon sagrado. Está lá, só Deus sabe como e porque, mas tenho certeza que nenhum teólogo que tenha entendido a mensagem do Evangelho vá querer usar esse texto para sustentar que o espiritismo está coberto de razão e que tem na Bíblia sua base de formação doutrinária. Se alguém assim o fizer, é porque não tem o Espírito Santo e não é um despenseiro fiel, pelo contrário, como disse Paulo, é alguém que pode ser considerado como falsificador da Palavra de Deus – 2Co 2:17 .
 
Este é o meu entendimento sobre o que chamam de “versículos isolados”. Se é isolado é porque não faz parte do cânon sagrado. Se não faz parte do cânon sagrado, mas está lá, é porque foi alterado em algum momento ou foi incluído por algum mal intensionado ou, talvez até mesmo sem maldade, por descuido de algum copista.
 
Quanto aos dois outros textos que você cita e diz que neles há incoerência, não dá para  falar sobre eles neste espaço. Mas, pretendo dar o meu parecer sobre eles brevemente.
 
Em Cristo, Ev. Sandoval Juiano – 30.07.2010
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *