Verdades Bíblicas e Realidades Espirituais – Parte II

Compartilhe

  

Iniciamos, na semana passada, uma série de estudos bíblicos que têm como objetivo trazer à tona verdades bíblicas e realidades espirituais que andam esquecidas e ignoradas. Temos visto que a Bíblia deixou, para muitos e em muitas igrejas, de ser a bússola, a norma de fé e prática da vida cristã, o “manual do fabricante”. As pessoas agem como se a Bíblia fosse um livro ultrapassado, ou apenas um livro histórico. Isto pode ser, para alguns, um ledo engano, mas, para uma boa parte dos cristãos, não se trata de desconhecimento, mas de falta de fé e adulteração proposital da Palavra.

A psicologia, a filosofia e outras matérias do conhecimento humano trazem orientações baseadas em pesquisas e estudos feitos por especialistas e, são válidas. Em sua grande maioria são válidas. Mas, qualquer que seja o avanço que o conhecimento humano tenha alcançado, naquilo em que diverge das orientações bíblicas, deve-se tomar a orientação com cautela e de preferência, num ato de fé na Palavra de Deus, desconsiderá-la. O meu conselho é que se dê à Bíblia Sagrada a preferência nas questões práticas em nosso viver diário. Procure aplicar em todas as áreas da sua vida as orientações bíblicas. O próprio Deus diz: “… Então farás prosperar o teu caminho e então prudentemente te conduzirás.” – Josué 1:8.

VERDADE BÍBLICA DE HOJE:

NÃO É QUALQUER PECADO QUE NOS FARÁ PERDER A SALVAÇÃO

É preciso que se saiba que nem todo pecado que cometemos em relação aos mandamentos divinos exarados na Bíblia Sagrada nos farão perder a salvação. Existe uma série de ordenanças que visam exclusivamente nos  proteger e nos orientar no sentido de termos uma vida longa e saudável. A desobediência dos mandamentos relacionados a este aspecto, não implicam em perda de salvação, mas na perda de proteção divina para aquela área em que a desobediência possa estar ocorrendo.

A Bíblia fala de pecados para morte, ou seja, pecados que implicam em condenação:

> 1 João 5:16 – Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore.

> 1João 5:17 – Toda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte.

> Mateus 12:31 – Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens.

> Hebreus 10:26 – Porque, se pecarmos voluntariamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados,

> Apocalipse 22:15 – Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.

Já em outras referências a Bíblia fala de pecados que são perdoáveis:

> Mateus 9:2 – E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, tem bom ânimo, perdoados te são os teus pecados.

> Romanos 4:8 – Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa o pecado.

> 1 João 2:12 – Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados.

POR QUE É IMPORTANTE SABER ISTO?

Primeiro – Porque precisamos reforçar o entendimento de que ninguém perde a salvação por ter cometido uma falha, um erro ou por ter praticado um pecado, que não seja para morte.

Segundo – Porque precisamos aprender a “cingir os lombos do nosso entendimento e confiarmos inteiramente na graça que há em Cristo Jesus” – 1 Pedro 1:13, e não nos deixarmos abater diante das acusações de Satanás. Ele usa a estratégia da acusação em nossa mente, nos levando, em alguns casos, até ao desespero, ao nos fazer pensar que por termos falhado perdemos a salvação. A Bíblia é bem clara quando diz que “se andarmos na luz como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu filho, nos purifica de todo pecado.” – 1 João 1:7.

Terceiro – Porque precisamos entender que os mandamentos de Deus não são um fardo para nossa vida. Numa simples leitura da Bíblia chegamos a imaginar que Deus se preocupa com detalhes  que parece não ser “da conta” dEle. Na verdade, servimos a um Deus que se importa, sim, com o que vamos comer, se vamos repousar bem, se vamos ter qualidade de vida, se teremos bons relacionamentos pessoais, se saberemos nos comportar como servos ou como patrões, como filhos ou como pais, como cônjuges, como obreiros na casa do Senhor, como vizinhos, como cidadãos etc. Os Seus mandamentos visam nosso bem estar e a desobediência pode até não nos levar ao inferno, mas pode trazer o “inferno” até nós.

Veja o que diz este texto bíblico:

Entretanto, porque eu clamei e recusastes; e estendi a minha mão e não houve quem desse atenção, antes rejeitastes todo o meu conselho, e não quisestes a minha repreensão, também de minha parte eu me rirei na vossa perdição e zombarei, em vindo o vosso temor. Vindo o vosso temor como a assolação, e vindo a vossa perdição como uma tormenta, sobrevirá a vós aperto e angústia. – Provérbios 1:23-27.

Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 11.04.2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *