Verdades Bíblicas e Realidades Espirituais – Parte IX

Compartilhe

     

VERDADE BÍBLICA DE HOJE

O DIABO NÃO PREVALECERÁ SOBRE OS QUE SÃO CHAMADOS PARA UM PROPÓSITO SANTO

A história do povo de Deus está recheada de investidas do maligno na tentativa de destruir, causar perdas irreparáveis, fazer alguém perder o rumo de sua trajetória e com isso atrasar o avanço dos projetos divinos.

Vimos Faraó, no Egito, subjugando os herdeiros da promessa; através de Balaque e Balaão o inimigo lançou tropeços fazendo perecer milhares no deserto; os emissários dos gibeonitas se fizeram passar por viajantes de uma terra distante para conseguirem uma aliança com Josué; na reconstrução dos muros, Sambalate, Tobias e Gesém procuraram desestimular Neemias, tentando impedir a concretização do seu projeto; Hamã, o agagita, nas fortalezas de Susã, nos dias da rainha Ester, elaborou um plano de assassinato coletivo os judeus em um só dia… E assim, ao longo de toda a história, homens como Senaqueribe, Nabucodonozor, Tito, Hitler e tantos outros, foram instrumentos de investidas de Satanás contra o povo de Deus.

É bem verdade que não é em todo e qualquer acontecimento que o inimigo põe as suas patas. Nas duas últimas décadas vivemos a realidade de termos que pregar contra a espiritualização exagerada no meios dos crentes, especialmente no meio dos pentecostais, uma vez que havia uma tendência a se transferir a culpa para o diabo em todo o qualquer acontecimento desagradável, mesmo nos mais corriqueiros da vida comum.

O problema é que o proprio inimigo se aproveitou disso e conduziu as coisas a um comportamento oposto, qual seja a naturalização exagerada de tudo. Agora, tudo é natural, científica, social e psicologicamente explicável.

Nesta série de estudos, meu propósito é tratar das verdades bíblicas e realidades espirituais. Preciso trazer à tona essa realidade: O inimigo está solto e continua operando para causar problemas à obra e ao povo de Deus. A nossa realidade é que estamos enebriados com os “cafunés” que o inimigo anda fazendo em nós, através das mensagens que afagam o ego, explicam e dão razões ao pecado e com isso perdemos o discernimento espiritual.

Os evangelistas registraram um acontecimento que nos mostram a importância de se ter discernimento das coisas espirituais. Quando os discípulos atravessavam o Mar da Galiléia, que na verdade não era um mar, era um lago de grandes proporções e, em função de sua posição geográfica, de vez em quando sofria modificações temperamentais. Rapidamente era possível se formar uma conjunção tal de correntes quentes e frias que o espelho das águas perdia sua placidez e ganhava a fúria dos mares.

> Marcos 4:37 – E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia.

Seria natural, portanto, que os barqueiros daquele lago pelas suas experiências encontrassem uma forma de se salvarem ou se viessem a naufragar, depois se diria que foi uma tragédia da qual às vezes não tem como escapar. Aquilo era meteorologicamente explicável.

No entanto, naquele dia Jesus estava no barco. E, ao ser despertado pelos seus discípulos, levantou-se e viu que aquela tempestade tinha a digital do inimigo. Jesus estendeu sua mão e pronunciou a palavra Phimothete! – Acalma-te! – A mesma palavra grega era utilizada para repreender espíritos malignos. Não se tratava, portanto, de uma demonstração de poder sobre os fenômenos da natureza. Jesus discerniu a presença maligna naquele sopro destruidor.

> Marcos 4:39 – E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança.

Em várias ocasiões de seu ministério Jesus discerniu a presença do diabo. Nas costas da mulher corcunda, por exemplo.

> Lucas 13:11 E eis que estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; e andava curvada, e não podia de modo algum endireitar-se.

> Lucas 13:16 – E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa? 

No caso da sogra de Pedro. Se aquela febre fosse uma febre qualquer Jesus não teria repreendido, ele teria dito: fique sã, seja curada, ou algo deste tipo. Mas, veja o que está escrito:

> Lucas 4:38, 39 – Ora, levantando-se Jesus da sinagoga, entrou em casa de Simão; e a sogra de Simão estava enferma com muita febre, e rogaram-lhe por ela. E, inclinando-se para ela, repreendeu a febre, e esta a deixou. E ela, levantando-se logo, servia-os.

Discernir em uma enfermidade, no vento e no mar as digitais do inimigo só é possível ao crente espiritual e experiente. O obreiro que não tem vida no altar interpreta os acontecimentos com incrível naturalidade. Para quê ordenar aos ventos e ao mar que se acalme, na autoridade do nome de Jesus se vc tem apadrinhados políticos nos quais se pode encontrar uma solução? Para quê conclamar a igreja para a oração para o Senhor resolver os levantes do diabo se a igreja tem um departamento jurídico que pode entrar com uma ação na justiça e pedir indenização por danos morais?

Não podemos esquecer que o mundo, para a igreja, é um campo de batalha e não um Jardim do Édem. Aliás, até no Jardim do Édem o inimigo tem seu cântico de encantamento que embota os sentidos. Precisamos estar atentos, pois é ao inimigo que interessa mudar a trajetória do barco da igreja. Se ele não pode te fazer naufragar em meio às tempestades, ele te levará a uma calmaria tal que te fará esquecer seu alvo e sua missão.

Tudo o que o inimigo faz, visa prejudicar a obra de Deus e lançar tropeços para aqueles por quem Deus está realizando Sua obra. O diabo está solto e continua agindo contra o povo de Deus! O que temos que fazer? – Buscar discernimento espiritual, não nos deixarmos ser levados pelas sugestões do inimigo, não negociarmos com a obra de Deus, não fazer da igreja um balcão de negócios, não sermos levianos… Para quê?

> 2 Coríntios 2:10, 11 – … para que não sejamos vencidos por Satanás; porque não ignoramos seus ardis. 

A realidade espiritual é essa: O inimigo continua investindo contra a obra de Deus. A verdade bíblica é essa: O diabo não prevalecerá sobre os que são chamados para um propósito santo. Paralelamente ao ataque do inimigo, o Espírito do Senhor enviará o escape.

> Isaías 59:19 –  … Vindo o inimigo como uma corrente de águas, o Espírito do SENHOR arvorará contra ele a sua bandeira.

Precisamos fazer a oração de Eliseu em favor de seu servo Geazi:

> 2 Reis 6:17 – E orou Eliseu, e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o SENHOR abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu.                   

> 1 Coríntios 10:13 – Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.

Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 20.06.2012.

Fontes de consulta:

Jornal Mensageiro da Paz nº 1451 – Abril de 2006

Site:http://www.tillhecomes.org/Text%2520Sermons/Luke/Luke%25204%252031-41.htm&prev=/search%3Fq%3DPhimothete%26hl%3Dpt-BR%26biw%3D1243%26bih%3D777%26prmd%3Dimvnsb&sa=X&ei=PM7hT7qBLIGe8gTc372GCA&sqi=2&ved=0CFAQ7gEwAQ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *