O grande legado do livro de LEVÍTICO para o Novo Testamento

Compartilhe

                                                                                                                                                                                    

LEVÍTICO – É o livro que apresenta o manual dos regulamentos do serviço sacerdotal. Este livro está ligado diretamente aos livros de Êxodo e Números, seus vizinhos mais próximos, pela sequência histórica que eles possuem, ou seja, os fatos que envolvem esses três livros se deram no mesmo período e contexto.

A importância de um regulamento para o serviço sacerdotal se dá em função da importância do Tabernáculo e do culto. Se dá ainda, em função de se evitar que o culto ao Deus Santo, o Deus de Israel, não contivesse elementos de cultos pagãos dos povos que haviam nas proximidades da nação de Israel.

Daí observamos que Levítico não foi importante apenas para Israel do Antigo Testamento. Levítico tem tudo a ver conosco, porque servimos e adoramos ao mesmo Deus que permanece desejoso de receber um louvor puro e uma adoração verdadeira. Somos, também, uma “nação santa e um sacerdócio real“.

Portanto, veremos o que há no livro de Levítico que o relaciona aos demais livros da Bíblia e à nossa atividade religiosa e espiritual.

O LEGADO DE LEVÍTICO É O SURGIMENTO DA FIGURA DO SACERDOTE E DA IMPORTÂNCIA DO SEU PAPEL

SACERDOTE – A melhor definição do papel e da importância do sacerdote está registrada na própria Bíblia.

> Hebreus 5:1 – O sacerdote era constituído nas coisas concernentes a Deus a favor dos homens, para que oferecesse dons e sacrifícios pelos pecados.

QUAL A RELAÇÃO ENTRE O SACERDOTE LEVÍTICO E O RESTANTE DA BÍBLIA?

      1. O sacerdote torna-se, ao longo da Bíblia, uma figura do próprio Cristo.

> Hebreus 2:17 – Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.

> Hebreus 8:1 – ORA, a suma do que temos dito é que temos um sumo sacerdote tal, que está assentado nos céus à destra do trono da majestade,

          2. O sacerdote torna-se, também, ao longo da Bíblia, a figura do pastor. O sacerdote era, em síntese, o intermediário entre os homens e Deus. Era ele quem se apresentava perante Deus pelo povo e trazia dEle a Sua bênção – Hb 5:1 . Na Nova Aliança, a igreja de Cristo tem essa pessoa, que cuida, que orienta, que intercede e essa pessoa é um “sacerdote” na casa do Senhor.

> Apocalipse 1:6 – E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.

> Hebreus 13:17 – Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.

          3. O sacerdote torna-se, também, a figura do cristão. Cada cristão é chamado na Bíblia de sacerdote de Deus, no sentido de que tem que apresentar a Deus seu sacrifício particular de culto e de adoração.

> 1 Pedro 2:5 – Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.                

> 1 Pedro 2:9 – Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;

          4. O sacerdote torna-se, também, ao longo das Escrituras, a figura do pai. Todo pai precisa exercer um certo pastoreio sacerdotal perante sua família.

> 1 Timóteo 3:2 – Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;

> 1 Timóteo 3:4,5 – Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia(Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?);  
                                                                                                                                                                     
O texto bíblico acima mostra que antes de ser sacerdote na igreja, o obreiro precisa ser primeiramente sacerdote no lar. Como nesta dispensação, o sacerdócio tem caráter universal, ou seja, todos exercemos um papel sacerdotal no corpo de Cristo, fica implícito que é dever de todo pai ser um sacerdote em seu lar.
                                                                                                                                                                         
Há pelo menos dois exemplos bíblicos de pais-sacerdotes dentro do lar. O primeiro exemplo é o de Josué, quando declarou perante a nação de Israel que pretendia continuar servindo a Deus com o seu lar.
                                                                                                                                                        
> Josué 24:15 – Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR.     
                                                                                                                                      
O segundo exemplo é o do patriarca Jó.        
                                                                                                                                               
> Jó 1:5 – Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Talvez pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.
                                                                                                                                                                
Portanto, o grande legado do livro de levítico é a instituição do sacerdócio e a regulamentação de sua atividade, tanto na vida privada quanto no exercício do seu ministério. Sem este livro, não entenderíamos o ministério de Cristo ao lado do Pai, não compreenderíamos a importância do pastor perante a igreja, não entenderíamos o dever espiritual do pai perante sua família e do cristão na ministração do seu culto a Deus.
                                                                                                                                                       
> Romanos 12:1 – ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
                                                                                                                                                             
> Hebreus 13:15 – Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.
                                                                                                                                               
Em Cristo, Sandoval Juliano – 20.02.2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *