A sabedoria é justificada por seus filhos.

Compartilhe

COMENTÁRIO BÍBLICO DO NOVO TESTAMENTO – LUCAS 7:33-35 

 

Lucas 7:33-35 – Veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e dizeis: Tem demônio; Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e pecadores. Mas a sabedoria é justificada por seus filhos.

 

Na expressão final desta leitura bíblica há uma revelação interessante a respeito da importância de se viver com sabedoria. 
 
Jesus está dizendo que os frutos obtidos por aqueles que vivem com sabedoria justifica todo o esforço, todo o sacrifício, toda a dedicação empenhada no viver sábio.
 
Existem aqueles que sempre indagam se vale a pena ser justo, ser honesto, ser leal, ser obediente às orientações bíblicas. 
 
Todo homem ou mulher temente a Deus, geralmente, sofre algum tipo de desprezo, ouve críticas sobre seu comportamento ético, e muitos em sua volta fazem-no sentir que está perdendo muito por viver de forma tão sóbria e responsável, procuram passar a imagem de que apesar de não serem observadores dos bons costumes, das tradições e dos mandamentos, vivem bem e curtem mais a vida.
 
Acontece que o tempo passa… Passa para quem vive sabiamente, e passa para quem vive de forma néscia, insensata.
 
O que vive de forma sábia e temente, terá filhos e colherá os frutos do seu trabalho.
 
O que vive na mentira, na hipocrisia, sem temor, andando na contramão da vontade de Deus, também terá filhos e colherá os frutos do seu viver insensato.
 
Daí vem Jesus e diz: Os filhos daquele que viveu de forma sábia justificam a sabedoria de quem a teve.
Salomão já havia advertido que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria.
 
Observem como são os filhos ou filhas de um casal sábio, equilibrado, temente…
 
Vejam como esses filhos ou filhas se comportam diante da sociedade, como honram seus pais, como são equilibrados em suas escolhas e decisões, como são tementes a Deus, como são inteligentes e competentes.
 
Quando Jesus proferiu essa sentença Ele estava fazendo referência às críticas e acusações levianas que Ele e João Batista sofriam por parte dos fariseus, dos sacerdotes e dos escribas de sua época. Jesus estava dizendo que, apesar das críticas sofridas, estavam gerando frutos para Deus que justificavam a sabedoria que possuíam. 
 
Ao passo que os seus perseguidores, que também foram perseguidores de João Batista, sempre iriam procurar defeitos, sempre iriam censurar, porque é assim que fazem os mal intencionados, nunca tecem um elogio sincero, e sempre dão a pior interpretação a todo comportamento das pessoas de quem sentem inveja, sempre procuram depreciar.
Se a pessoa não é dado às festas eles censuram, dizem que é retrógrado, sem graça; se a pessoa é alegre, espontânea e participa dos eventos sociais, chamam-no de glutão, de atirado, e suspeitam de suas intenções.
Fica evidente que o homem sábio, especialmente aquele que foi chamado por Deus para fazer uma grande obra, não deve se preocupar em se tornar um padrão absoluto para os demais, nem se deixar abater pelas críticas dos descontentes, eles vão criticar de qualquer forma.
 
Portanto, meu irmão e irmã que optou por obedecer à Palavra do Senhor e viver de forma sábia, não se deixe abater pelas críticas que recebes. 
 
Nada como um dia após o outro… já diz o adágio popular…
 
Lá na frente você e seus críticos colherão os frutos que hoje estão plantando, cada um os seus…
 
E então você entenderá, de forma prática o que Jesus disse: A sabedoria é justificada por seus filhos.
Em Cristo, Sandoval Juliano – 08 de outubro de 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *