Cristo Pode Salvar Perfeitamente

Compartilhe

                                                                                                           “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles“. Hebreus 7:25

Alguém pode ser salvo, mas não perfeitamente salvo? – O que é que o apóstolo, escritor desta Epístola, quis dizer quando afirmou que Jesus, pelo que fez e pelo que é pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus?

O escritor da Epístola aos Hebreus estava, desde o primeiro capítulo, mostrando a revelação progressiva que o Antigo Testamento faz da pessoa de Cristo, de seu ministério sacerdotal e de sua obra salvífica.

Nos capítulos 5 e 6 o autor de Hebreus falou da necessidade que o crente tem de crescer espiritualmente, de deixar a fase da infância e procurar alcançar a maturidade espiritual.

Na fase da infância espiritual, é perfeitamente aceitável que o crente viva inseguro quanto à sua identidade como filho de Deus e inseguro quanto ao alcance da salvação em sua vida. É comum, por exemplo, o cristão achar que por ter falhado em alguma área de sua vida ou de de seu relacionamento com Deus, perdeu a salvação, teve o seu nome apagado do livro da vida ou coisa assim.

É comum, ainda que o cristão viva procurando meios de merecer a permanência na salvação. Quando nos convertemos a Cristo, aceitamos sua salvação por pura graça e misericórdia, mas, uma vez que já somos crentes, vivemos nos esforçando para nos tornarmos dignos dessa mesma salvação.

É em função disto que surgem os inúmeros preceitos e doutrinas criadas e inventadas pelo homem e atribuídas à Deus, como se Ele as tivesse criado. A santificação deixa de ser uma obra do Espírito na vida do crente e passa a ser um fruto do esforço do crente para que finalmente possa ser salvo.

                                                        Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: Não toques, não proves, não manuseies?

As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os preceitos e doutrinas dos homens;

                                          As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade, e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.

                      Colossenses 2:20-23.

A Epístola aos Hebreus mostra que isso é um retrocesso, quando diz que vivemos como os israelitas que atravessaram o deserto e não conseguiam entrar na terra de Canaã por falta de fé Hb 4:1 .

A salvação que Cristo nos oferece é uma obra perfeita e acabada. Não dependeu de nós para que a recebêssemos, nem dependerá de nós para que a desfrutemos.

O esforço que precisamos fazer é para aprender mais sobre a vontade de Deus para nossa vida; é para que o sirvamos melhor a cada dia; é para que alcancemos a unidade da fé; para que nos tornemos agradáveis ao Espírito Santo e por Ele sejamos usados. Mas, a salvação é obra e graça de Deus e foi consumada na cruz. Ninguém vive perdendo a salvação em um dia e a recebendo de volta noutro dia.

Se o nome de alguém for riscado do livro da vida, jamais será escrito novamente. Isto foi assunto tratado no capítulo 6.

POR isso, deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, e da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. (…)

 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, e recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. (grifo nosso)

Hebreus 6:1-6

Vimos, portanto, que salvação é algo que se recebe e não se perde. Porém, se se perder, não se recebe de volta, jamais.

Portanto, a mensagem de Hebreus para a Igreja é: Cresçam espiritualmente, sejam melhores crentes, desenvolvam o conhecimento de Deus e de Seu Plano de salvação, alcancem a maturidade espiritual, busquem a excelência no serviço cristão, mas não façam isto com o objetivo de se tornarem dignos de serem salvos por Cristo. A salvação é obra perfeita e acabada. Cristo é o perfeito salvador, o sacerdote eficaz “que pode salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por Eles”.

Da nossa parte, o que nos resta a fazer, em relação a salvação, é termos fé para entrarmos no repouso – Hb 4:3 , Hb 4:11 .

Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 08.02.2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *