Lição 12 – Visões e Revelações do Senhor

Compartilhe

A propósito, o Senhor só concede visões e revelações para pessoas que entendem o Plano de Salvação e são comprometidas com a Sua obra.

Quando conversamos com um obreiro, em poucos minutos percebemos se ele tem ou não entendimento e compromisso com a obra do Senhor.

Semana passada, um obreiro, pregador intinerante, foi apresentado na nossa reunião de obreiros e foi solicitado que fizéssemos uma agenda para ele, visto que se tratava de um bom pregador.

Ao término da reunião, eu me aproximei dele com a intenção de convidá-lo para pregar na congregação onde estou servindo ao Senhor. O celular dele tocou e ele em tom de brincadeira perguntou: E aí, meu prezado, você já preparou aquela “xerebias-nébias” para mim? Daí ele esperou a resposta, deu outra gargalhada e disse: Xarai, terra de núbias, me aguarde que estou indo pra aí.

Eu disfarcei-me e sumi no meio dos obreiros e disse comigo mesmo: Um obreiro que brinca com os dons espirituais não pode, em hipótese alguma, ser alguém comprometido com o Evangelho.

Na época de Paulo já tinha este tipo de obreiro. Pregadores e/ou pastores que queriam passar uma aparente espiritualidade e superioridade pelo fato de serem mais eloquentes, mais fervorosos e serem mais agraciados com os dons espirituais.

Enquanto isso, Paulo já tinha tido a maravilhosa visão, na qual ele foi transportado ao paraíso, e nem por isso havia saído contando e falando em línguas o tempo todo como demonstração de que se sentia especial pela grandeza da revelação que tivera.

Tem um pregador aqui em Brasília que ostenta um número fabuloso de cursos teológicos que já concluiu. Ele se apresenta da seguinte maneira: Pr., Dr., fulano de Tal, Ministro do Evangelho, Bacharel em Teologia, com Pós-Graduação em Ciência da Religião, Licenciatura Plena em Educação Religiosa, PhD, e por último Dr. em Divindade. E, em seguida ele apresenta uma lista de cidades, estados e até de outros países onde já pregou e as próximas agendas que tem.

Eu fico impressionado porque esses pregadores que se apresentam com muita pompa, se dizem apaixonados pelos textos de Paulo. Se é assim, por que não aprenderam com ele a não se gloriar nos seus feitos, títulos e graças, recebidas de graça, por Deus?

– Se tenho que me gloriar de alguma coisa, gloriar-me-ei de minhas fraquezas, porque por elas o poder de Deus se tem manifestado!

Já tinha quatorze anos que Paulo havia passado pela maravilhosa experiência do arrebatamento, no entanto, pelo tom que usa, parece que até então, ninguém sabia.

A Deus interessa que seu nome seja glorificado e seu Reino cresça. Não convém a um vaso escolhido pelo Senhor sentir-se mais importante que o próprio Reino, muito menos que o próprio Rei.

Após a grande revelação que o Senhor concedeu, permitiu que seu servo sofresse uma certa perseguição, ao que ele chamou de espinho na carne, afim de frear qualquer intento de se sentir importante demais. As expressões: “um mensageiro de Satanás” e para me “esbofetear na cara”, dão a impressão de que alguém, propositalmente, lançava publicamente, em rosto de Paulo algum pecado “absurdo” que ele houvesse praticado e tentava, por meio de um escândalo, tirar-lhe a autoridade.

Para um obreiro sério e que ama a obra de Deus e quer seu crescimento, nada é pior que uma situação assim. Nem enfermidade, nem pesadelos noturnos ou coisas do gênero, poderiam ser pior que alguém lhe desmoralizar publicamente.

É que o Senhor perdoa e esquece, mas os homens não. Qualquer falha cometida por um servo de Deus ou por alguém que esteja em evidência é grave demais para o povo perdoar. Davi chegou a dizer que preferia cair nas mãos do Deus vivo a cair nas mãos dos homens. Vejam o que estão fazendo, por exemplo, com o ex-governador de Brasília, José Roberto Arruda. Não que ele não tenha culpa, mas querem tirar-lhe a pele vivo e dar-lhe um banho com pimenta malagueta por cima da carne viva. E o pior, falam dele e tratam-no como se nenhum brasileiro fosse corrupto, de alguma forma.

Em resumo, as verdadeiras visões e revelações do Senhor são ministradas pelo Espírito Santo a quem não é leviano, a quem tem compromisso com Deus e com sua obra. Isto significa que muitas revelações, das quais temos conhecimento, devem ser questionadas. 

Esse negócio de dizer que “tô recebendo um fax quentinho do céu, aqui e agora“, é um perigo. Eu tenho minhas reservas com esses pregadores. Prefiro um que diz assim: pesquisei, ou, em minha experiência cristã estou convencido que isto e isto está acontecendo dentro da igreja e que o Senhor não se agrada. Só devemos falar que o Senhor falou quando Ele realmente houver falado.

Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano – 20.03.2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *