Lição 8 – Coisas Sacrificadas aos Ídolos

Compartilhe

 

Lição 8 – 24 de maio de 2009 – Coisas Sacrificadas aos Ídolos

Muito oportuna esta lição, uma vez que estamos nos aproximando às festividades juninas. Quando eu era criança, nenhum crente tinha dúvida de que não deveríamos participar de festa junina, Cosme e Damião e outras atividades que fazem parte da tradição católica. Isto, definitivamente e indiscutivelmente, não era coisa prá crente.

Os tempos hoje são outros. Nada mais é inquestionável. Enquanto os crentes antigos mantêm os mesmo pontos de vista, a nova geração de crentes já questiona tudo.

Daí, há uma necessidade de que o professor de Escola Dominical não chegue impondo um ponto de vista. O ideal é levar o questionamento para ver o que pensa cada aluno de sua classe. Depois de ouvidos os alunos, ficará mais fácil verficar a maneira mais ideal para apresentar o princípio doutrinário.

É lógico que ainda que a maioria ache que não há qualquer problema em o crente participar, o professor, ainda assim, deverá expor a doutrina bíblica, a qual está bem abordada no comentário de nossa revista.

E, sobre o crente fazer festa junina evangélica? – É um outro questionamento que pode ser abordado e é sempre bom que o professor tenha a paciência para ouvir as diversas opiniões.

O professor deverá estar preparado para defender o postura que a Igreja Assembléia de Deus já tomou, a qual é contrária a isto, advertindo, porém, que em alguns Estados, igrejas Assembléias de Deus que não permanecem mais nos princípios doutrinários já permitem a realização de enventos paralelos aos da tradição católica. Em algumas igrejas já existem blocos carnavalesco, boates evangélicas que funcionam na área da igreja e que servem como uma opção para os jovens. Nestas igrejas, os que quiserem entrar para o templo entram, os que não quiserem vão a um salão onde podem cantar e dançar paralelamente ao culto. Aqui em Brasília a Igreja Sara Nossa Terra adota este sistema. Eu já ouvi falar que em Belém do Pará, na igreja pastoreada por Samuel Câmara já fazem assim.

No ano passado eu passei em frente a uma igreja evangélica que estava realizando na área do templo uma festa junina evangélica, aqui em Brasília, mais precisamente na Samambaia.

Eu, particularmente, acredito que a mãe evangélica que deixa seu filho participar de festa junina na escola ou na sua rua, ou comer os doces e balas que são distribuídos na época do “São Cosme e São Damião”(coloquei entre parênteses porque eu não os considero como santos ou intercessores), está abrindo uma porta por onde o inimigo vai entrar e formar uma mentalidade em seus filhos levando-os a acharem que isto não faz mal, que estas festividades são elementos de integração social e manifestação cultural, quando na verdade, nós que temos o conhecimento dos desígnios da Satanás, sabemos que estas festividdes são cultos pagãos, adoração, às vezes clara, às vezes disfarçadas, aos ídolos que os católicos chamam de “santos”.

Quem tem o conhecimento da Palavra de Deus sabe muito bem que aqueles a quem os católicos chamam de santos não são santos coisíssima nenhuma. Eles nem sequer sabem que aqui na terra existe essa veneração ao nome e à memória deles. Eles nunca foram mediadores entre Deus e os homens. Somente Jesus Cristo, a segunda pessoa da Trindade, por ter se feito homem, no pleno sentido da palavra e ter vencido o pecado, tornou-se o mediador entre Deus e os homens – Veja 1Tm 2:5 .

Portanto, se eles não são mediadores, não sabem nem que existem estas festas dedicadas a eles, quem está por trás destas comemorações, ou seja, quem recebe o louvor e as preces que são encaminhadas a eles? – A bíblia responde: 1Co 10:20 .

Em Cristo, Pb. Sandoval Juliano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *