Elias, O Tisbita

Compartilhe

                                                                                                                              

ELIAS – Esse é um nome composto por dois nomes relacionados a Deus, EL e IAS – El significa o Poderoso e IAS ou IAH é uma abreviação de YAWEH – O Deus Eterno. Portanto, Elias é um nome que significa o Deus eterno e todo-poderoso.

TISBITA – Em algumas versões aparece a palavra tesbita, porém, tisbita parece ser o mais correto, uma vez que, ao que tudo indica, Elias é proveniente de uma cidade, talvez um povoado, chamado Tisbe, que, segundo informação do texto bíblico, oriundo da conceituada tradução conhecida como septuaginta, ficava na região de Gileade.

Tisbe, talvez não fosse uma cidade, um local ou coisa assim. Nunca se comprovou por achados arqueológicos a existência deste local. Em uma tradição folclórica presente em países do Oriente Médio, como Macedônia, Sérvia, Bulgária e Romênia, ele é conhecido como “Elias, aquele que faz trovejar”. Pode ser que esse seja o real significado para a expressão “Elias, o tisbita”.

A origem, a genealogia e a vida pregressa de Elias é uma incógnita. Não nos interessa, portanto, nos determos naquilo que ao Espírito Santo não foi considerado importante. Como Melquisedeque, Elias simplesmente apareceu na história de Israel. Porém, o que nos interessa sobre ele, é o ministério profético por ele exercido.

Ele era um tipo eremita, aquelas pessoas que vivem uma vida isolada da rotina urbana e se consagra a Deus em lugares isolados. Ele é considerado o pai dos eremitas.

Esta é a primeira qualidade de um profeta – TEM UMA VIDA CONSAGRADA 

Por essa vida de consagração, Elias teve como principal característica o “estar ou permanecer na presença de Deus”.  Ele mesmo afirmava isso, quando iniciava sua preleção:

Ø 1 Reis 17:1 – ENTÃO Elias, o tisbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Vive o SENHOR Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra. 

Como a palavra de Elias era uma palavra que tinha peso, conseguimos identificar uma segunda qualidade de um profeta de Deus – ELE ERA CONSIDERADO PELAS PESSOAS QUE O CONHECIAM COMO UM HOMEM DE DEUS E CUJA PALAVRA ERA VERDADEIRA

Ø 1 Reis 17:24 –  Então a mulher disse a Elias: Nisto conheço agora que tu és homem de Deus, e que a palavra do SENHOR na tua boca é verdade.

O ministério profético exercido por Elias se caracterizou ainda, pela ousadia de suas profecias, pelos protestos contra a idolatria institucionalizada em seus dias e pela operação de sinais e prodígios como confirmação da autoridade divina que pousava sobre ele.

Acabe e Jesabel reinavam em Israel, o Reino do Norte, cuja capital era Samaria, e, por influência de Jesabel, que era filha do rei Etbaal, rei de Tiro e de Sidom, o culto a Baal se tornou bastante popular em Israel, com a consagração de muitos sacerdotes e construção de templos e altares idolátricos.

Como eles eram tiranos e opressores, foi preciso um enfrentamento audacioso, na unção e no poder de Deus. Cheio de autoridade espiritual e em face de sua vida de inteira consagração a Deus, Elias proferia juízo sobre o reinado de Acabe, quando na verdade, seu principal propósito era expor a fragilidade de Baal, que era considerado um deus que comandava a natureza, especialmente a chuva e o fogo.

OS SINAIS E PRODÍGIOS REALIZADOS POR ELIAS

01. Ordenou que não chovesse em Israel e, durante 3 anos e 6 meses assim aconteceu;

Ø 1 Reis 17:1 – Vive o SENHOR Deus de Israel, perante cuja face estou, que nestes anos nem orvalho nem chuva haverá, senão segundo a minha palavra.

Ø Tiago 5:17 – Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. 

02. Em tempos de seca e escassez, foi alimentado por corvos que lhe traziam pão e carne;

Ø 1 Reis 17:6 – E os corvos lhe traziam pão e carne pela manhã; como também pão e carne à noite; e bebia do ribeiro.

OBS: Os corvos são aves carnívoras e extremamente egoístas. A Bíblia chega a afirmar em Jó 38:41 que os corvos negligenciam os seus filhotes, deixando-os sem terem o que comer em tempos de escassez. No entanto, aqueles corvos, ordenados por Deus, levavam pão e carne a Elias.

03. Operou o milagre da multiplicação da farinha e do azeite na casa da viúva de Sarepta;

Ø 1 Reis 17:14-16 – Porque assim diz o SENHOR Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o SENHOR dê chuva sobre a terra. E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias. Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou; conforme a palavra do SENHOR, que ele falara pelo ministério de Elias.

04. Em resposta a sua oração, o Senhor ressuscitou o filho da viúva de Sarepta que havia falecido;

Ø 1 Reis 17:22 – E o SENHOR ouviu a voz de Elias; e a alma do menino tornou a entrar nele, e reviveu.

05. Pelo seu clamor perante o Deus de Israel, no monte Carmelo, Caiu fogo do céu sobre o altar que ele havia reconstruído;

Ø 1 Reis 18:38 – Então caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego.

06. Mediante sua palavra profética, voltou a chover em Israel depois de 3 anos de seca

Ø 1 Reis 18:45 – E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva; e Acabe subiu ao carro, e foi para Jizreel.                    

07. Quando estava exausto na fuga pelo deserto, um anjo serviu a Elias com pão assado sobre brasas e com uma botija de água;

Ø 1 Reis 19:5,6 – E deitou-se, e dormiu debaixo do zimbro; e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come. E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.

08. Fez cair fogo do céu e consumiu a dois batalhões com seus comandantes

Ø 2 Reis 1:10 – Mas Elias respondeu, e disse ao capitão de cinqüenta: Se eu, pois, sou homem de Deus, desça fogo do céu, e te consuma a ti e aos teus cinqüenta. Então fogo desceu do céu, e consumiu a ele e aos seus cinqüenta.

09. Foi arrebatado aos céus, em carruagem de fogo

Ø 2 Reis 2:11 – E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.

CONCLUSÃO:

Pela autoridade espiritual demonstrada durante o seu ministério, Elias inaugurou uma nova era ministerial, dando ao ministério profético em Israel peso e respeito.

Elias tornou-se o ícone, o representante de toda a dispensação passada, ao lado de Moisés. Enquanto Moisés era o ícone da Lei, Elias era o ícone dos Profetas.

Ø Mateus 17:3 – E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. 

Com isso nós aprendemos que cada servo de Deus, no exercício de seu ministério, seja ele qual for, deve agir e se comportar de tal forma que enobreça aquele ministério que representa

Ø Romanos 12:6 – De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.

Ø 1 Pedro 4:10 – Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

Em Cristo, Sandoval Juliano – 26 de fevereiro de 2014.

 

 

 

Fontes de consulta:

Livro: O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo – Autor: R. N. Champlin.

Site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Elias_(profeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *