09 – Sobre a 1ª Ressurreição

Compartilhe

“Bem-Aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição. Sobre eles não tem poder a segunda morte…” – Ap 20.6

A ressurreição é uma das doutrinas fundamentais da fé cristã. Como disse Paulo, se Cristo não ressuscitou então não haveremos de ressuscitar e se não haveremos de ressuscitar é vã a nossa pregação e a nossa fé.

FUNDAMENTOS DA DOUTRINA DA RESSURREIÇÃO

A doutrina da ressurreição tem sua base no Antigo Testamento, e, tanto o conceito quanto profecias estão presentes em vários livros antigo testamentários.

Vimos, por exemplo a profecia de Isaías 26:19 que diz:

“Mas temos esta certeza: Os que pertencem ao Senhor vão voltar a viver; seus corpos serão ressuscitados. Os que já foram enterrados vão despertar e cantar de alegria. A luz da vida vai cair sobre eles como o orvalho. A terra dará à luz os seus mortos” (Versão da Bíblia Viva – Editora Mundo Cristão).

Em Daniel 12:2-3 há uma reafirmação da promessa da ressurreição, quando diz:

“E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente”.

No Novo Testamento, Jesus Cristo ratifica a promessa da ressurreição, segundo registros de João, no capítulo 5, versículos 24, 25, 28 e 29:

Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão… Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação”.

A doutrina da ressurreição tem um reforço especial nas epístolas paulinas, especialmente na primeira aos Coríntios, no capítulo 15 e na primeira aos Tessalonicenses, no capítulo 4.

Quando observamos todos estes textos e os de Apocalipse, concluímos que haverá a ressurreição dos santos em Cristo e daqueles que morreram sem Cristo – “Uns ressuscitarão para a vida eterna e outros para a vergonha e desprezo eternos“. Ou seja, haverá a 1ª e a 2ª ressurreição.

Neste texto analisaremos o que a Bíblia diz sobre a 1ª ressurreição.

A 1ª ressurreição foi tipificada no Antigo Testamento através da lei da colheita. A colheita dos grãos, frutas e cereais deveria ser feita em três etapas. Na 1ª etapa, os judeus deveriam recolher os primeiros frutos ou feixes que estivessem maduros e levarem como oferta perante o sacerdote. Era a chamada “oferta das primícias” – Lv 23:10 . A segunda etapa era a semana da grande colheita. Durante uma semana ou mais, conforme as condições de cada agricultor ou de acordo com o tamanho da lavoura, era feita a colheita dos frutos do que se plantou. Por fim, vinha a terceira etapa que era chamada de “rabiscos das colheita”.

Todo agricultor, ou fazendeiro, tinha que deixar para trás todo o fruto que caísse no chão, conforme o texto de Levítico 23:22: 

E, quando fizerdes a colheita da vossa terra, não acabarás de segar os cantos do teu campo, nem colherás as espigas caídas da tua sega; para o pobre e para o estrangeiro as deixarás. Eu sou o SENHOR vosso Deus. 

Portanto, a 1ª ressureição segue o mesmo princípio da Lei da Colheita. Ela se dará em três fases distintas.

QUAIS SÃO AS TRÊS FASES DA 1ª RESSURREIÇÃO?

1ª FASE – AS PRIMÍCIAS

Cristo ressurreto, juntamente com todos os santos que ressuscitaram no dia da crucificação, formam o grupo chamado por Paulo de “As primícias da ressurreição”.

Mateus 27:50-53:

“E Jesus, clamando outra vez com grande voz, rendeu o espírito. E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos”.  

Quando Jesus ressuscitou ele apareceu para Maria e quando ela o reconheceu quis abraçar-lhe, mas Ele a impediu dizendo:

“Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 

Durante uma semana Jesus esteve ausente. Foi neste período que ele levou à presença do Pai o resultado do seu  trabalho e com ele aqueles que haviam ressuscitado no dia de Sua morte.

Por esta razão, Paulo afirma em 1 Coríntios 15:20,23:

“Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda”.

2ª FASE – A GRANDE COLHEITA

A 2ª fase da 1ª ressurreição se dará no dia do arrebatamento da igreja, quando, mediante o toque da trombeta do arcanjo, todos os que dormem em Cristo, ressuscitarão com corpos glorificados, imortais e incorruptíveis.

1Co 15:52 ;

1Ts 4:14 ;

1Ts 4:16 ;

1Ts 4:17 ;

3ª FASE – OS RABISCOS DA COLHEITA

Assim como na Lei da Colheita, no Antigo Testamento, haverá a ressurreição daqueles que ficaram para trás, ou seja, daqueles que não foram arrebatados juntamente com a Igreja e que durante os 07 anos da Grande Tribulação se converteram a Cristo e perderam a vida em função disto. Estes também ressuscitarão, antes da implatação do Milênio e serão agregados à Igreja que antes fora arrebatada e reinarão com Cristo durante os mil anos de paz que haverá na terra.

Apocalipse 20:4-6:

“E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.

Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos”. 

Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 04.02.2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *