No Ato do Batismo

Compartilhe

Nesta série estamos estudando as atitudes de Jesus diante de cada situação vivida e de cada circunstância e desafio surgidos ao longo de sua vida e ministério. Certamente vivemos situações idênticas em nossa vida, especialmente nós, os que fazemos a obra de Deus. Se somos cristãos, devemos sê-lo, principalmente no nosso comportamento. Que as atitudes de Jesus, analisadas nesta série, nos sirvam de exemplo do que devemos fazer e de como devemos nos comportar.

“Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele.

Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?

Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então ele o permitiu.

E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.

E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

Mateus 3.13-17

TRÊS ATITUDES DE JESUS QUE MERECEM DESTAQUE NESTA HISTORIA

1ª ATITUDE – JESUS SOUBE RECONHECER O MINISTÉRIO DO SEU PRIMO, JOÃO.

          Jesus não foi o tipo de obreiro que acha que a unção e a chamada de Deus é exclusiva dele. Pelo contrário, mesmo sabendo que era o Filho de Deus e que tinha um grande ministério a desempenhar, apoiou o ministério de João. O simples fato de ter saído de casa e ter ido ao Jordão para ser batizado, era uma demonstração de que Jesus reconhecia que o ministério de João era sério e útil ao Reino Deus.

          Quantos obreiros em nossos dias que não aprenderam com Jesus. Tenho conhecido obreiro egoísta, que se acha o único e não reconhece o ministério de um colega seu, com medo de que o outro ganhe prestígio e ele não. Tanto Jesus como o próprio João Batista falavam bem um do outro. Jesus elogiava João do lado de cá e João, por sua vez declarava: “Importa que Ele cresça e que eu diminua” – João 3.30.

          Tem crente na igreja que só participa de uma programação se a idéia tiver partido dele ou se a programação for dirigida por ele próprio ou por uma pessoa de sua família. Caso contrário, ele não pisa o pé lá e ainda fica na torcida para aquela idéia não prosperar.

2ª ATITUDE – JESUS ESTAVA DANDO UM PASSO DE CADA VEZ

          Aparentemente, Jesus não precisava fazer tudo o que fez. Porém, Ele não foi do tipo que “desceu de helicóptero”. Não chegou com alarde já querendo ser “Pastor Presidente”, “Reverendo”, “Bispo” ou “Apóstolo”. Jesus deu um passo de cada vez; subiu cada degrau da escada sem pular três ou quatro degraus. A Bíblia diz que Ele adquiriu experiência, à medida que viveu.

           Estamos em uma época onde pessoas com apenas 5 anos de crente já são presbiteros e até pastores. E, em sua grande maioria, são obreiros que não foram experimentados, não sabem, na prática, como funciona o Reino de Deus. Conheço presbíteros que nunca foram professores de Escola Dominical, nunca foram presidente de mocidade, nunca foram tesoureiro ou secretário da igreja. Não subiram degrau por degrau na escada ministerial.

                    “Que o obreiro não seja neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo”. – 1 Timóteo 3.6

          Bom seria que nossas igrejas não fossem dirigidas segundo a opinião pessoal de cada pastor, mas que fóssemos dirigidos pela Palavra. Que o modelo observado fosse o do Sumo Pastor, Jesus Cristo.

                                     “Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade…” – Colossenses 2.18

3ª ATITUDE – JESUS DEU O EXEMPLO DE SUBMISSÃO À LIDERANÇA ESPIRITUAL DE SUA ÉPOCA

          A atitude de Jesus foi uma demonstração de que Ele estava disposto a aceitar a liderança espiritual de sua época. Ele sabia que em épocas futuras o batismo nas águas se tornaria uma liturgia da igreja e que muitas pessoas deixariam de ser batizadas sob o pretexto de que nem Jesus precisou se batizar.

          Há muitas pessoas que questionam tudo o que a igreja pratica. Há outros que nem membro de uma igreja querem ser mais. Eu creio que, se em sua época houvesse uma igreja constituída, nos moldes da igreja de hoje, Jesus teria se tornado um membro dela, nem que fosse para reformá-la.

“Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça…”

          Jesus tornou-se o exemplo de todas as práticas da Igreja de nossos dias. Ele ía ao templo; Ele se batizou; Ele participou da Santa Ceia; Ele ofertava; Ele evangelizava; Ele discipulava; foi exemplo na vida de oração; fazia visita aos lares e participava dos grandes eventos de sua religião.

          Portanto, as atitudes de Jesus no ato do seu batismo, são dignas de nossa atenção. Que possamos seguir o seu exemplo e em nada querermos ser melhores do que Ele. Se Ele, deixou estes exemplos de humildade e submissão, quem somos nós para vivermos de nariz empinado, achando que somos alguma coisa. 

           “Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas” – 1 Pedro 2.21

Em Cristo, Pb. Sandoval Juliano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *