No Episódio de Gadara – II

Compartilhe

 

          Já analisamos 2 atitudes de Jesus no episódio de Gadara. Nosso objetivo é conhecer a mente e o comportamento de Cristo e confrontar com nossas atitudes diante de situações idênticas. Se somos cristãos, nosso comportamento tem que se ajustar ao de Cristo. Caso contrário, não somos cristãos.

          Neste segundo texto gostaríamos de identificar e analisar pelo menos mais duas atitudes de Jesus no episódio de Gadara:

01. Jesus empreendeu uma viagem com todos os seus custos por causa de uma alma. Quantas vezes, ao fazermos um grande trabalho na obra evangelística ou missionária, ficamos decepcionados por não termos colhido a quantidade de “frutos” que esperávamos colher. Sentimos uma sensação de que alguma coisa falhou, de que não valeu à pena tanto gasto, tanto empreendimento. Eu participei de uma viagem evangelística ao Estado da Paraíba com um grupo formado por onze pessoas. Foi uma viagem cara e cheia de percalços. Durante 10 dias visitamos casa por casa da pequena cidade onde estivemos. Fizemos um culto ao ar livre na praça da Igreja Católica que contou com a presença da grande maioria dos moradores da pacata cidade. Mas, ao que nos consta, ganhamos apenas uma alma para Jesus. Uma senhora de 84 anos de idade. Ganhá-la foi uma experiência gratificante que eu carrego na memória para sempre. Ao voltarmos, tivemos a impressão de que ganhamos pouco demais. Mas, à medida que fui estudando a história de Jesus fui ficando cada vez mais convicto que é assim mesmo que acontece no Reino dos Céus. Jesus é capaz de mover céus e terra para salvar um pecador apenas.

02. Uma segunda atitude(que na verdade é a quarta, se juntarmos as duas listas) é o fato de Jesus ter permitido aos demônios permanecerem naquele território. O Evangelho de Marcos registra que os demônios pediram que Jesus não os expulsassem para fora daquela província – Mc 5.10. Isto indica pelo menos duas coisas:

     1ª – Existem demônios territoriais. Demônios que atuam em determinado território e que são responsáveis para oprimirem às pessoas de uma determinada cidade ou região. Em Daniel fala-se de “príncipes da Pérsia” e do “Príncipe do teu povo”.

        2ª – Jesus permitiu a permanência deles porque sabia que os moradores de Gadara O rejeitariam. Portanto, já que eles haveriam de rejeitar a Cristo, pouco importa que continuem sendo afligidos por aqueles que os afligiam. Há uma lição neste aspecto: Não adianta você expulsar demônios da vida de quem não quer ser liberto. Se você expulsa o demônio de uma pessoa e no dia seguinte aquela pessoa volta às práticas das mesmas obras, os demônios voltarão e se o obreiro não tiver discernimento espiritual vai ficar meses e meses lutando com aquele endemoninhado. Não adianta tirar o chiqueiro de quem não quer se ver livres dos porcos.

          Paul Philip Levertoff, grande professor judeu, disse, ao comentar esse episódio que em todos os séculos subsequentes mundo tem recusado Jesus porque prefere os porcos! 

Em Cristo, Sandoval Juliano – 05 de junho de 2009.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *