Bebedices, Glutonarias, Parvoíces e Chocarrices

Compartilhe

 

Estamos tratando das obras da carne e do fruto do espírito. Entendemos por obras da carne as atitudes pecaminosas, ou seja, tudo aquilo que é gerado por nossa natureza humana e decaída e, por fruto do espírito, as virtudes procedentes de uma vida dirigida pelo Espírito Santo e pela Palavra de Deus.

Neste tópico estudaremos 4 atitudes pecaminosas presentes na vida do cristão e que podem ser considerados excessos cometidos pela carne que prejudicam o corpo, a imagem e incomodam as pessoas que estão à sua volta. Esse grupo é composto por: BEBEDICES, GLUTONARIAS, PARVOÍCES e CHOCARRICES.

BEBEDICES – A palavra usada no texto original grego é “methai”, e dá a idéia de alcoolismo causado pelo uso excessivo da bebida alcoólica. A forma plural mostra a repetição do estado de bebedeira. Bebedice é o mesmo que embriaguez. A embriaguez é um atentado contra o organismo físico e contra a decência. No sentido físico, nosso corpo é e deve ser tratado como templo do Espírito Santo e, portanto, não deve ser destruído, seja pela bebida alcóolica, seja pelo uso de entorpecente, de psicotrópicosou de qualquer outro excesso. No sentido de decência, sabemos que a embriaguez, frequentemente leva a pessoa à libertinagem, à falta de pudor. Não combina com a purez cristã o despudoramento, a devassidão, a libertinagem o comportamento indecente que a bebida alcóolica pode produzir na pessoa. 
 
Não há proibição, em qualquer passagem das Escrituras, ao uso da bebida alcóolica, especialmente do vinho. Existem advertências sobre o uso em excesso de qualquer bebida com teor alcóolico. E neste texto de Gálatas, bem como em outros no novo testamento, está bem claro que os que se entregam à embriaguez não herdarão o reino de Deus, “ficarão de fora”.
 
Sabemos ainda que a mente do indivíduo que se embebeda fica entorpecida. A pessoa perde a capacidade de raciocinar friamente, perde os reflexos e o controle sobre seus impulsos. É típico dos espíritos malignos se apoderarem de mentes entorpecidas, instigando-as a praticarem a maldade. Por outro lado, o Espírito Santo não se utiliza de uma mente perturbada ou desajustada para quaisquer fins. Portanto, não vos embriagueis com o vinho, que leva à dissolução, mas enchei-vos do Espírito Santo” – Ef 5:18 .
 
GLUTONARIAS – O pecado da gula está relacionado ao prazer desenfreado pela comida. É comer sem necessidade, sem sentir fome; comer além do limite, compulsivamente. O normal é que uma pessoa coma para viver, na glutonaria, a pessoa vive para comer. Em Fp 3:19 , diz que há pessoas que fazem do ventre o seu deus. A sensação é de que o estômago é uma entidade que precisa ser saciada.Além do pecado da idolatria, praticado pelo glutão, o egoísmo é outro pecado que se manifesta. O guloso quer ser o primeiro, quer comer o melhor da mesa, quer sempre comer em maior quantidade que todos os outros e não se conforma em apenas comer, mas quer levar pra casa o que não coube no estômago. Além do que, como dissemos no item anterior, sendo o nosso corpo o templo do Espírito Santo, não convém que este templo seja destruído pelos problemas de saúde que advém da comelância. Sabemos que o comer compulsivo não só dilata o estômago como provoca distúrbios cardiovasculares, eleva a taxa de colesterol e aumenta a propensão ao diabetes. Lembremo-nos que a moderação é o remédio para que se evite essa prática pecaminosa. Jesus disse que “nem só de pão viverá o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus”.
 
PARVOÍCES –   É o ato praticado por um parvo, e parvo é alguém que beira a imbecilidade. É a pessoa que se faz de tola, de burra; que sente prazer em se apresentar como idiota, como simplista; que faz questão que todos percebam que ela é boba, tola. É uma obra da carne, por quê?- Porque em Deus está toda a fonte de sabedoria. Aquele que está em Cristo e tem a mente de Cristo, precisa se esforçar  para ser sábio, inteligente, sensato e não fazer questão de parecer um abestado, falando coisas fora de hora, sem sentido, aproveitando-se de sua aparência simples para passar a imagem de um pateta. A parvoíce não se vê apenas no falar, mas no modo de se vestir, de andar e de viver. Tem pessoas que se adornam de breguice e pretendem tirar proveito dessa condição. O parvo é uma pessoa que incomoda uma vez que de engraçado ele passa a ser um chato.
 
CHOCARRICES –  Gracejo petulante, atrevido e grosseiro; deboche. É a risada  irônica, de mal gosto, provocativa com o objetivo de ridicularizar ou de deixar uma pessoa sem graça. O comportamento do cristão deve estar sempre voltado para a gentileza, amabilidade, simpatia, cordialidade. A chocarrice provoca a sensação de desprezo, de rejeição, de reprovação. É muito comum a pessoa que está sendo alvo da chocarrice se irritar, ficar nervosa, se sentir diminuída, uma vez que se torna o alvo de risadas do grupo a que pertence. A chocarrice é um cálice amargo ao bebedor.
Antonio Brás Constante, escritor brasileiro, lá das bandas do Sul, em um texto muito interessante, assim definiu o deboche: “O deboche é a mais cruel brincadeira inventada pelo homem em sociedade. Apesar de querer ser exatamente isto: “uma brincadeira”, muitas vezes se transforma em um torturante jogo de palavras e insinuações, onde a vítima passa pela agonia de se tornar o foco da atenção de determinado algoz”.
Não é típico de Cristo apresentar este tipo de comportamento. Se somos cristãos, não nos convém sermos debochados, atrevidos, deselegantes. Não servem aos propósitos do Reino de Deus aqueles que não se importam nem se incomodam com o bem estar do próximo. É por isso que Paulo diz que não herdarão o Reino de Deus os que tais coisas praticam.
 
Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 30.08.2011
 
 
 
 
Fontes de consulta:
 
http://www.igrejasementedavida.com.br/docs/obrasefrutos/aula16.html
 
http://professorpadua.blogspot.com/2007/09/glutonaria-pecando-de-barriga-cheia.html
 
http://www.overmundo.com.br/banco/deboche
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *