Considerações Sobre O Fruto do Espírito

Compartilhe

 

                 Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Gálatas 5:22

Durante três meses estudamos as obras da carne, não apenas as listadas em Gálatas, como todas as outras que aparecem em todo o Novo Testamento, num total de 40 atitudes pecaminosas que se tornam um embaraço na vida do crente.

Hoje, iniciamos uma série de estudos sobre O FRUTO DO ESPÍRITO. Entendemos por fruto do Espírito:

1º) Qualidades morais presentes na vida do crente que o identificam com Cristo;

2º) Modo de viver íntegro e honesto que se realiza no crente à medida que ele permite que o Espírito Santo dirija e influencie a sua vida de acordo com o padrão estabelecido em Sua Palavra;

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES:

1. O fruto do Espírito, ao contrário das obras da carne, aparece no texto bíblico no singular, indicando tratar-se de um mesmo fruto, onde, cada parte, só é completa e só tem sentido, quando em harmonia com as outras;

2. O fruto do Espírito é gerado pelo Espírito Santo, a terceira pessoa da trindade divina, em nosso coração a partir do nosso espírito, ao contrário das obras da carne que são geradas pelo pecado, a segunda pessoa da trindade satânica, em nosso coração, a partir de nossa alma. Tudo o que é gerado na alma está relacionada à carne. A natureza carnal e pecaminosa do homem é a fusão do pecado com a alma. Portanto, tudo o que é gerado em nosso coração a partir da alma, é carnal – Jo 3:6 . Nenhuma obra gerada na carne dá frutos para Deus – Rm 8:7 ; Rm 8:8 . Por esta razão o fruto do Espírito é gerado em nosso coração a partir do  nosso espírito;

3. O fruto é o resultado natural da habitação do Espírito Santo. É tão natural como a macieira produz a maçã. Diante disto pode-se dizer que não é o resultado do esforço do crente por um viver mais santo. Mas, sim, é o resultado de um viver em comunhão com Deus e com seus interesses, através da pessoa do Seu Espírito Santo. Portanto, não é correto dizer que o crente precisa produzir o fruto do Espírito, mas, que o fruto manifesta-se na vida do crente na medida de seu crescimento espiritual e na de sua submissão a Ele;

4. Uma pessoa, em cujo comportamento não se manifesta o fruto do Espírito, nunca foi e não é uma pessoa convertida ao Evangelho – Rm 8:9 , a menos que ela esteja no início de sua fé e ainda não adquiriu nenhuma maturidade no seu viver cristão. Deus nos concede, diariamente, oportunidades para verificarmos se estamos submetidos à direção e à influência do Espírito Santo, ou não. Uma vez que verificamos, em determinadas situações, que nossa conduta não foi compatível com a mensagem do Evangelho, cabe a nós, refletirmos, nos arrependermos e pedirmos ao Espírito Santo que trabalhe mais aquela área da nossa vida onde ainda estamos agindo segundo a carne. Este processo precisa ser diário, mas precisa ser progressivo…

Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 26.10.2011.

 

 

Fontes de consulta:

http://www.descobrindo.com.br/mulherfrutos.htm

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *