Heresias, Torpezas, Devassidão, Cães, Mentiras, Maus Pensamentos, Furtos e Engano

Compartilhe

 

Há algumas semanas estamos tratando das obras da carne e do fruto do espírito. Já estudamos, até agora, 32 obras da carne, das 40 que identificamos no texto do Novo Testamento. Neste tópico estudaremos as 8 atitudes pecaminosas que ainda nos restam para podermos concluir este ciclo de estudos sobre as obras da carne e passarmos a estudar o fruto do Espírito. As atitudes pecaminosas que iremos estudar aqui são: HERESIAS, TORPEZAS, DEVASSIDÃO, CÃES, MENTIRAS, MAUS PENSAMENTOS, FURTOS E ENGANO.

HERESIAS – A heresia, como obra da carne, é a prática da falsificação, manipulação e deturpação do sentido doutrinário de determinado texto bíblico para fazer com que ele diga o que a pessoa quer que ele diga. É muito comum, em nossos dias, pregadores manipularem um texto para dele se beneficiarem ou para agradarem as massas ignaras. Nem sempre, significa que aquele obreiro pretende fundar uma nova denominação ou um novo credo. O propósito disto, em geral, é o de demonstrar que ninguém tem que ficar preso a um padrão de uma denominação. O pregador quando faz isto, induz o povo a deixar de crer nos pais da igreja ou no seu pastor. O resultado disto é uma confusão e um princípio de murmuração e até de rebelião. Tem pregador que é convidado para pregar em nossos eventos, recebe um alto cachê, além das inúmeras mordomias e quando vai embora, ainda deixa um “abacaxi” para o pastor descascar. O obreiro sério, comprometido com a Palavra e com a Obra de Deus se comporta como os apóstolos da igreja primitiva: “Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus” – 2Co 2:17 . E quanto a nós, que estamos a mercê desses pregadores,  o apóstolo Paulo nos apresenta a seguinte recomendação: Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo”. Colossenses 2.8

TORPEZAS – Torpeza é comportamento vergonhoso. Na linguagem jurídica é o agir de má-fé, com dolo. É o se fazer passar por vítima quando na verdade não há culpa alguma a se atribuir à pessoa acusada. O simples fato de uma pessoa(física ou jurídica) ser levada à justiça, já lhe causa danos, às vezes irreparáveis. Ainda que a pessoa seja totalmente inocentada perante a justiça, perante a opinião pública fica sempre uma mancha. Quando o crente age dessa maneira, imputando a seu irmão(ã) uma culpa que ele sabe que a pessoa não tem, mesmo que ele peça perdão ao irmão(ã) prejudicado, todavia, a imagem daquela pessoa fica arranhada. Sabemos que o “tribunal” estabelecido nas igrejas para julgar seus membros e líderes, nem sempre é composto de pessoas que têm saber jurídico, o que possibilita aos “espertos” praticarem a torpeza, sem serem percebidos. No entanto, os olhos do Senhor tudo vêem. Essa atitude maldosa é ofensiva a Deus. O Senhor conhece os pensamentos e as intenções do curação humano. Aquele que pratica a torpeza, “não herdará o Reino de Deus“.

DEVASSIDÃO – Hoje em dia é preciso buscar uma definição além da que se encontra nos dicionários, uma vez que nem tudo o que se entende por erro é tido como erro, no mundo atual. Em um país como o Brasil, por exemplo, a devassidão virou piada, a nudez e a baixaria viraram brincadeira, o bizarro e o indecente tornaram-se coisa normal. Sabemos que há desvios escabrosos no mundo moderno, mas que rendem um bom lucro aos que os praticam. Então, me diga, o que é ser devasso, no sentido bíblico? – Toda e qualquer atitude que atente contra a dignidade da pessoa humana, contra a honradez, contra a decência, contra a inocência de uma criança, contra a autoridade de um pai, contra os princípios que norteiam as relações do bem viver… Ser devasso é demonstrar com determinada atitude que você não se importa com os valores morais da família e da religião. Entre os exemplos bíblicos que encontramos nas Escrituras Sagradas temos o de Noé, quando se embriagou com vinho, se despiu e apresentou-se nu diante de sua família, sendo ele um patriarca estimado em elevada honra. Maior atentado contra a honradez de um pai, foi a atitude de seu filho que quando o viu assim, ao invés de encobri-lo, chamou os demais irmãos para que presenciassem a pouca vergonha do pai…

CÃES –Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira” – apocalipse 22:15. Os cães, animais domesticados pelo ser humano, com inúmeras características louváveis, com incrível capacidade de aprendizagem, resolução de problemas e inteligência comunicativa, aparece nos texto apocalíptico como um símbolo negativo. Jesus estava falando de alguém que caso apresente ompartamento semelhante aos cães, por este aspecto mereceria condenação, reprovação. Mas, o que é ser um “cão” na linguagem bíblica? – Para os hebreus, os cães eram considerados imundos, pelo fato de que comiam dejetos humano e carniças nos inúmeros lixões de então. A domesticação dos cães, no âmbito das famílias, se deu em tempos bem mais modernos. Em sua segunda epístola, Pedro utiliza-se de um antigo provérbio que diz que o “cão volta ao seu próprio vômito” e com esse provérbio ele ilustra a condição daquele que se desviou do Evangelho. Portanto, parece-nos bem aceitável que o termo “cães” como aparece em Apocalipse 22:15, refira-se aos desviados, àqueles que deixaram as “mesas”, a “casa do pai” e foram aos lixos deste mundo, comer do próprio vômito, daquilo que renunciaram quando se converteram ao Evangelho.

MENTIRAS – Mentira é a capacidade que o ser humano tem de contrariar a verdade. Não importa se a mentira é deslavada ou se é nobre, o que importa é que ela anda na contra mão da verdade. Para conquistar anjos que apoiassem sua rebelião, Lúcifer elaborou suas primeiras mentiras. Por isso, Jesus disse que quando ele mente, fala do que lhe é próprio uma vez que é mentiroso e pai da mentira – Jo 8:44 . Daí podemos dizer que a mentira surgiu exatamente com o intento de ocultar a verdade que Lúcifer sabia sobre os planos de Deus. Por isso, Jesus abomina a mentira. Toda vez que alguém mente, remete Cristo às lembranças do mal que Lúcifer Lhe causou ao disseminar inverdades sobre Seu caráter e sobre Sua pessoa. Quando alguém mente está associando-se ao diabo, tornando-se um sócio neste projeto, ou seja, está assumindo a responsabilidade de não deixar que a mentira perca seu lugar sob o sol. Daí Jesus ter dito aos fariseus, quando estes proferiram mentira a Seu respeito que eles eram “filhos do diabo e que procuravam satisfazer-lhes o desejo – Jo 8:44 .

MAUS PENSAMENTOS – Entre os alicerces do ordenamento jurídico, há um que diz que “ninguém deve ser punido por seus pensamentos“. Os legisladores, os filósofos, os juristas, os médicos, os psicólogos etc, todos sabem que existe um limite na capacidade de conhecimento do homem. Ninguém é capaz de conhecer os pensamentos de outrem. O problema é que muitos se esquecem que Deus tem uma ferramenta capaz de conhecer e de saber tudo o que o homem pensa. “Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces… de longe entendes o meu pensamento…” Esta ferramenta chama-se espírito. 1Co 2:11 . O  espírito é um software que Deus instalou em nosso ser, capaz de armazenar tudo o que se passa, em nossa mente, até as mais ocultas intenções – Hb 4:12 . Portanto, os maus pensamentos, são conhecidos por Deus e causam um “mal-estar” no Espírito Santo. É tanto que Jesus disse que considera adultério o simples fato de uma pessoa cobiçar a outra em seus pensamentos – Mt 5:28 . Sabedores que somos que nossos pensamentos estão às claras perante o Senhor, façamos nossas as palavras do salmista que disse: “sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração – Sl 19:14 .

FURTOS – Consiste na subtração de coisa alheia, sem violência. A Lei brasileira não considera crime quando não há objeto material de valor econômico, pois o crime é material e requer efetiva lesão do patrimônio, ficando de fora as coisas incorpóreas ou imateriais de cuja existencia só dá testemunho a inteligência humana. Paulo adverte: “Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade” – Ef 4:28 . Na lei do amor, transmitida por Cristo, no entanto, bens imateriais, em geral, têm mais valor que os bens materiais. A “Coisa”, ou o “objeto do furto”, nesse caso, não deve ser entendida apenas como objeto material, corpóreo, tangível. Pode-se entender “coisa”, também, como algo de valor sentimental. Neste sentido, a obra da carne aparece no texto bíblico no plural, indicando diversidade de furtos que podem ocorrer. O furto de sentimentos alheio, por exemplo. O furto de um título, de uma posição. O furto do direito que a criança tem de ser criança, de receber carinho.  Portanto, não há espaço para o furto, qualquer que seja.

ENGANO –       Texto em Construção…

 

 

 

 

Fontes de consulta:

http://vigiai.net/articles.php?article_id=469

http://www.igrejasave.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=102%3Aa-devassidao-virou-piada-no-pais-do-carnaval&catid=38%3Anews&lang=

http://www.prazerdapalavra.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=470:os-inimigos-da-gra&catid=1243:filipenses-2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *