A Parábola da Semente

Compartilhe

 

Esta parábla, a décima-sétima, encontra-se registrada em Marcos 4:26-29

E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. 

E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. 

Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga. 

E, quando já o fruto se mostra, mete-se-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa. 

 

A Obra de Deus, chamada nas parábolas de: O Reino dos Céus, ou o Reino de Deus, tem características Sui generis. Não existe um projeto tão sublime, tão simples e que tenha resultados tão eficazes e concretos como o Evangelho. Todo grande projeto elaborado por pessoas inteligentes e com alto conhecimento técnico será complexo e interessante. Se não for assim, não será considerado um grande projeto. Já o projeto a que chamamos de Evangelho, aquele elaborado “antes da fundação do mundo” – Mt 25:34 , e por uma mente simplesmente formada pela santíssima trindade – Rm 11:34 ; Ef 1:9  , é tão simples que os “sábios” deste mundo o desprezam.

A semente, citada nesta parábola, pode ser entendida como a oração, a , e o evangelismo. Se pegarmos este último, como exemplo, sabemos que “aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida,  com alegria, trazendo consigo os seus molhos” – Sl 126:6 . Evangelizar não é outra coisa, senão, lançar sementes à “terra”. Já vimos em outra parábola que a “terra”, que representa os corações, pode ser árida, pedregosa, cheia de espinhos ou uma terra fértil. Mas, uma coisa é certa, quem leva a semente tem que semear em todas as terras, porque, como foi dito em Eclesiastes, “nunca se sabe qual frutificará, se essa ou se aquela, ou ambas igualmente…” – Ec 11:6 .

Ao compararmos a semente à , teremos igual resultado. A fé tem um poder extraordinário. Como sementes que se lançadas, certamente brotarão, assim é com a fé. Quantas vezes deixamos de alcançar nossos objetivos, ainda que eles sejam bons e sinceros, simplesmente e tão-somente porque não tivemos fé. Quando agimos com fé, em geral, colhemos frutos, os resultados aparecem de uma forma tão rápida que ficamos sem querer acreditar. É lógico que estou falando daquilo que diz respeito ao Reino dos céus, à obra de Deus em nossa vida. A fé não é uma ferramenta que Deus nos concede para usarmos a nosso bel-prazer, não. A fé, como fruto da ação do Espírito Santo em nossa vida, será sempre para a glória de Deus!

Por fim, dissemos acima que a semente pode ser, nesta parábola, uma figura da oração. Quando oramos, em sintonia com o Espírito Santo e com a vontade de Deus, não se faz necessário ficarmos tentando ajudar o Senhor a responder nossa oração. Oramos, simplesmente, como um semeador que semeia sua semente à terra e vai para casa dormir. Nenhum lavrador faz vigília na sua lavoura para instruir a terra sobre como deve tratar a semente que lhe foi lançada. O semeador simplesmente crê, lança a semente e vai dormir. Porque “a terra, por si mesma frutifica…

Assim deve ser nossa confiança no Senhor. Colocamos nosso sincero pedido diante dEle e confiamos. Se não conseguirmos desenvolver essa confiança, ficaremos ansiosos para saber como Deus vai “se virar” para nos responder e, quantas vezes, tentamos dar uma mãozinha, como Sara fez ao oferecer sua concubina a Abraão.

Os maiores resultados que já foram obtidos na vida cristã e no Reino de Deus ao longo da história, foram obtidos por pessoas que simplesmente creram, lançaram sua semente e contemplaram o agir de Deus. 

É sublime sentar em uma relva e ouvir Jesus afirmando que o Reino de Deus é assim… como se um homem lançasse semente à terra e fosse dormir…

Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano – 18.08.2010.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *