A parábola das 10 virgens

Compartilhe

“ENTÃO o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas,

saíram ao encontro do esposo…” – Mt 25.1

Somente no texto de Mateus 25, dos versículos 1 ao 13 encontra-se registrada esta que é uma das mais famosas parábolas proferidas por Jesus. Esta Parábola faz parte da revelação trazida pelo Senhor sobre fatos e verdades que envolvem o arrebatamento da Igreja. Já dissemos anteriormente que as parábolas proferidas por Jesus vão traçando o perfil do cristão e de como o senhor espera que cada um de nós nos comportemos no Reino de Deus. E, esta não é diferente, pois, apesar de fazer referência ao momento exato do arrebatamento da Igreja, também fala de comportamentos anteriores que resultam em estar ou não estar pronto para o encontro com Cristo.

Nesta parábola, o noivo é Cristo. As 10 virgens,  que serviam ao noivo como damas de honra e iluminavam o seu caminho até que chegassem à casa da noiva, representam o conjunto de crentes, a Igreja, dentre os quais existem pessoas que vivem preparadas como se Cristo fosse voltar a qualquer momento e, de igual modo, existem pessoas que não acreditam que Cristo possa voltar tão logo, assim.

É conhecido no meio evangélico a famosa máxima que diz: “baseados nesta parábola, podemos dizer que dentro da igreja 50% dos crentes são salvos e 50% não são”. Eu não enxergo isto nesta parábola. Não creio que o propósito de Cristo foi o de revelar números. Se insistirmos em dar às parábolas uma interpretação literal, vamos ter problemas quando lermos o texto que diz que no dia da volta de Cristo, dois estarão na cama, um será levado e o outro será deixado. Poderíamos então dizer que em todas os lares apenas um dos cônjuges é salvo? – Sabemos que não é assim. O que Jesus disse é que, na cama onde houver um salvo, apenas ele subirá. Ninguém será salvo por conviver com alguém que é salvo. A salvação é individual.

Nesta parábola, o Senhor Jesus estava apontando para o fato de que existem pessoas que acham que são salvas, quando não são e, que não cabe a nenhum de nós julgar quem é e quem não é, uma vez que todas as 10 virgens, eram virgens, estavam com vestes nupciais e levavam lamparinas consigo. Ou seja, aparentemente estava tudo certo com todas. No entanto, havia um grupo considerável que não estava pronto para o encontro.

Outro detalhe relativo ao arrebatamento revelado nesta parábola é a vinda súbita, surpreendente e num momento em que muitos não estarão esperando. Foi à meia-noite. Naquela época, as pessoas dormiam cedo. Meia-noite já era um horário demais avançado, tanto é que elas tosquenejaram, ou seja, foram tomadas por um cansaço e começaram a cochilar, inclusive as 5 virgens prudentes. Esta é uma extraordinária revelação que Cristo faz sobre o momento espiritual que sua obra estará vivendo nos dias que antecerem à sua volta. Serão dias de dormência espiritual. Eu já ouvi muitos pregadores afirmarem que próximo ao arrebatamento haverá um avivamenteo mundial que resultará na conversão de milhares de almas. Isto nunca foi revelado nas Escrituras. Só devemos pregar o que está revelado, não aquilo que achamos que possa ser e nem aquilo que ao ser proferido vai causar emoção nos ouvintes. Jesus, em outro texto, perguntou: “Porventura, quando o Filho do Homem voltar, achará fé na terra?” – Lc 18:8 .

Ou seja, um dos maiores sinais da volta de Cristo é a frieza espiritual. A ciência  se multiplicará, tornando os homens muito arrogantes e autosuficientes – Dn 12:4 ; O amor de muitos se esfriará – Mt 24:12 ; E, muitos homens se tornarão amantes de si mesmos, frios na fé, sonolentos espirutalmente – 2Tm 3:2 .

Até mesmo os salvos estarão meio displicentes – Mt 25:5 ; Que grande revelação! E quão perto estamos da vinda de Cristo! Já estamos presenciando esta sonolência invadindo as igrejas. Os crentes estão cada vez mais frios, oram cada vez menos, evangelizam cada vez menos, amam cada vez menos. Eu não tenho dúvida que o momento em que estamos vivendo é de frieza espiritual generalizada. Estamos nos preocupando apenas com nosso bem estar, com nossa comodidade, com a prosperidade, com lazeres e prazeres…  Fazer a obra? Fazer missões? Passar a noite em vigílias de oração? – Já era. Ninguém nem sonha mais em ser missionário!!! O máximo que alguns querem, hoje, é ser pastor de uma igreja que lhe dê um bom salário, nada mais…

A parábola das 10 virgens é muitíssimo atual. Devemos nos atentar para esta grande revelação da Palavra de Deus e buscar ter, pelo menos, uma reserva de azeite em nossas lâmpadas!

Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano – 28.07.2010.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *