A Parábola dos Talentos

Compartilhe

 

A Parábola dos Talentos encontra-se registrada em Mateus 25:14-30. Em Lucas 19:11-27, a mesma parábola recebe o nome de parábola das 10 minas, ao invés de 10 talentos.

Cada vez que iniciamos o comentário de uma parábola dá vontade de dizer que esta é uma das mais belas parábolas que Jesus proferiu. Com esta não é diferente. A Parábola dos Talentos é riquíssima de detalhes e contém lições e sérias advertências. Nela, não apenas os obreiros oficiais da igreja, mas cada um de nós estamos incluídos, uma vez que a todos os que o Senhor chama para a salvação Ele confia talentos. A uns mais e a outros menos. Mas, todos recebemos do Senhor algo para fazermos.
 
Por que a uns mais e a outros menos? Porque o Senhor conhece a estrutura de cada um de nós. Ele usa o vaso conforme o vaso. Além do que, podemos também afirmar que quanto mais consagrado é o servo, mais talentos receberá do Senhor.
 
Não é conveniente, por pelo menos duas razões, que reclamemos do Senhor o fato de o nosso irmão ter recebido mais talentos que nós. Primeiro, porque, como já dissemos, o Senhor dá a cada pessoa aquilo que  a pessoa pode administrar e com aquilo produzir frutos – Mt 25:15 . Depois, porque, a quem mais responsabilidade o Senhor dá, mais Ele vai cobrar.
 
Os talentos não são os dons espirituais. Sabemos que a grande maioria dos crentes nunca receberam dons espirituais. Dons são ferramentas ainda mais importantes, são ministrações do Espírito Santo através de uma pessoa. Talentos são atividades inerentes a cada pessoa e sempre tem relação com a capacidade que cada pessoa tem na vida secular. Liderança, voz para cantar, capacidade de se comunicar através do rádio ou da televisão, facilidade para escrever e ser compreendido, ser músico, saber ensinar…
 
Quantos talentos lindos encontramos na obra do Senhor! De quantas maneiras podemos servi-Lo! Quão diversas são as ferramentas com as quais o Senhor pode contar para que sua obra seja realizada! E, como é bom saber que de alguma maneira estamos sendo úteis no Reino de Deus aqui na terra!
 
Paulo, com sua intelectualidade e sua intrepidez, foi mais longe que Pedro; Lucas, João Marcos, Tíquico e Epafras como companheiros nas aflições de Paulo lhe foram úteis e ao Evangelho; Dorcas, com sua capacidade de costurar, fazia roupas e servia à obra de Deus. Uns orando, outros cantando, outros semeando pequenas porções do Evangelho através da distribuição de folhetos, outros entregando-se de corpo e alma à obra missionária, outros contribuindo financeiramente, outros pregando a Palavra nos congressos e cruzadas, outros pastoreando o rebanho do Senhor. Cada um de nós temos condições e podemos fazer alguma coisa para contribuir com o crescimento do Reino. Se alguém não faz é porque não tem compromisso com Deus e com Sua obra. Indendente da idade, da condição social ou da capacidade intelectual, cada um pode levar, nem que seja “cinco pães e dois peixinhos” para servir ao Mestre.
 
O que o Senhor não admitirá são as desculpas descabidas que muitos apresentam para não fazerem absolutamente nada. “Eu vos nomeei para que vades e deis frutos e o vosso fruto permaneça” – Jo 15:16 .
 
Eu tive a oportunidade de estar pregando em uma igreja, aqui no Distrito Federal e observei que no púlpito havia uma copo bem grande com uma água que não era incolor. Ao perceber minha preocupação com aquela água, o pastor me disse que era água de coco-verde, geladinha. É que uma irmã, idosa e bem simples (e ela me mostrou a referida irmã), fez o propósito de todo domingo comprar dois cocos-verdes e trazer a água para o pregador. Eu fiquei imensamente admirado pelo gesto, pela atitude, pela forma que a serva do Senhor encontrou para contribuir com algo que ela julgava ser de grande utilidade no culto a Deus. Já que ela não tinha o talento para pregar, ela podia, ao menos, refrescar a garganta de quem não mede esforço para anunciar a bendita Palavra do Senhor.
 
Este é um exemplo de que quem quer fazer não espera por títulos, não inventa desculpas, não se escora nesta ou naquela impossiblidade. Quem quer servir ao Senhor descobre um jeito de servi-Lo. Afinal de contas, o Senhor merece!
 
Bem está servo bom e fiel… Será que ouviremos da boca do próprio Senhor estas doces e afáveis palavras? Será que os talentos que o Senhor, em Sua generosidade nos confiou nesta vida, foram utilizados para o crescimento do Reino de Deus e para o louvor do Seu nome?
 
Você tem uma profissão? Em sua profissão não há como servir ao Senhor? O dentista, o cabeleireiro, o pedreiro, o marketeiro, o advogado, o padeiro, o motorista, o leiteiro, o profissional de telemarketing, o psicólogo, o jogador de futebol, o profissional de Educação Física, o militar, o frentista, o feirante, o banqueiro, o piloto de avião, o sapateiro, a atriz, o juiz, o  aposentado… Será que em sua atividade não há espaço para Cristo e sua obra? Não há nada que possas fazer para propagar o amor e a salvação em Cristo na sua área de atuação?
 
Mau e negligente servo… Pelo que tenho observado esta será a sentença que mais vezes será proferida, principalmente para os servos de nossa geração. Nossa geração é uma geração onde cada vez menos encontramos servos bons e fiéis ao Senhor da seara. Nosso povo está se embaraçando com os negócios desta vida e tendo menos disposição para servir ao Rei. Que você, meu caro leitor, não estejas entre os que só serão salvos, se fores salvos, “como pelo fogo”, por nada teres feito durante o tempo de tua peregrinação – 1Co 3:15 .
 
Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano – 03.08.2010

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *