As Parábolas do Tesouro Escondido, da Pérola e da Rede

Compartilhe

Estudaremos, neste texto as 5ª, 6ª e 7ª parábolas.

A Parábola do Tesouro Escondido – Mateus 13:44

A Parábola da Pérola – Mateus 13:45-46

A Parábola da Rede – Mateus 13:47-50

Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo” – Mateus 13:44.

Nesta parábola, a verdade revelada sobre o funcionamento do Reino de Deus é que neste Reino a palavra-chave é RENÚNCIA. Nos dias de hoje, esta parábola não é de boa aceitação. Inúmeras pessoas querem as benécias do Reino, mas não querem se despojar “de tudo quanto tem“. No Reino de Deus há uma verdade que quando for aplicada causará grande espanto: É que muitos que acreditam estarem vivendo como filhos do Reino, na verdade são apenas espectadores, apenas simpatizantes, admiradores. Na parábola dos Convidados para as Bodas – Lucas 14:15-24, veremos que alguém chegou a entrar, mas foi retirado porque não havia passado pela porta estreita; não havia se submetido às exigências do Rei.

Viver o Reino dos céus é tão precioso que vale à pena despojarmos de tudo o que está relacionado a este mundo pecaminoso. Vale à pena renunciarmos e pagarmos um preço para viver, de verdade, o poder do Evangelho. Nossa geração não conhece a Deus; não conhece o poder do Evangelho; não entende o verdadeiro propósito do Evangelho. O Evangelho não tem como objetivo oferecer-nos um reino aqui na terra, mas transportar-nos ao Getsêmani, ao Calvário e à cruz.

“Outrossim, o reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas;  E, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a” – Mateus 13:45,46.

Esta parábola segue a lógica da anterior. Para obtermos a “pérola”, há um preço a pagar. Quem anda por aí dizendo que o preço já foi pago lá na cruz, não entende de que preço Jesus está falando nesta parábola. Não se trata da  salvação. O ladrão da cruz foi salvo no momento imediantamente anterior à morte. No entanto, não viveu o Reino de Deus programado para os homens; não teve oportunidade de atuar no projeto estabelecido por Deus.

Quando Jesus fala do Reino dos Céus, não está falando apenas da vida futura, está falando de algo que já começamos a experimentar aqui na terra. Por favor, leia as seguintes referências – Mt 3:2 ;Mt 6:10 ; Lc 12:32 ; Lc 17:20 ; Lc 17:21 .

“Igualmente o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanha toda a qualidade de peixes. E, estando cheia, a puxam para a praia; e, assentando-se, apanham para os cestos os bons; os ruins, porém, lançam fora.” – Mt 13:47 e 48.

IGUALMENTE – Jesus está mostrando que entre aqueles que, de alguma forma, fazem parte do Reino de Deus aqui na terra, nem todos são genuínos. Há “peixes” bons e ruins, como na parábola do Joio e do Trigo. Todavia, a separação só é feita pelo Senhor, depois que a rede já houver sido puxada – Mt 13:49 . Não tem como selecionar pelos olhos – Lc 17:20 .

Se eu pudesse escolher os crentes que eu gostaria de ter em minha igreja, eu o faria. Mas, com certeza, ainda que eu fizesse uma escolha bem criteriosa, ainda assim teria problemas.

Entre os escolhidos por Jesus estava Judas, que lhe traiu e lhe causou problemas.

Portanto, o Reino dos ceús é assim…

Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano – 11.06.2010.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *