Seios de Mulher

Compartilhe

 

Um homem atraente, de meia-idade, entrou em um bar e sentou-se. Antes de fazer o pedido, não deixou de perceber que um grupo de homens mais jovens, sentados em uma mesa perto da sua, riram dele.

Somente quando se lembrou da pequena fita rosa que levava na lapela de seu blazer, foi que se deu conta que se tratava de uma gozação.

O homem não deu maior importância. Mas, os insistentes risos na mesa vizinha começaram a incomodá-lo. Olhou diretamente nos olhos de um dos homens que estava à sua frente e apontou a fita: “Isto”? – Com este gesto todos os homens da mesa riram abertamente.

O homem ao qual dirigiu o olhar lhe disse: “desculpe amigo, mas estávamos comentando como está bonito com esta fita rosa no blazer azul”.

Com toda a calma, o homem fez um gesto para o gozador convidando-o a se aproximar e sentar com ele à sua mesa. Ainda que estivesse bastante incomodado o homem mais jovem se aproximou e sentou-se.  O homem mais velho, com uma voz muito calma lhe disse:

– Uso esta fita para chamar a atenção sobre o câncer de mama. Eu uso em honra à minha mãe!

– Sinto muito, amigo, ela morreu de câncer de mama?

– Não. Ela está sadia e muito bem. Mas, seus seios me alimentaram quando eu era um bebê e foram um abrigo quando eu tive medo e me senti só em minha infância. Estou muito agradecido pelos seios de minha mãe e por sua saúde!

– Entendo! respondeu o jovem, não muito convencido.

– Também uso esta fita para honrar à minha mulher. Continuou dizendo o homem.

– E ela também está bem?

– Claro que sim! Seus seios foram fonte de amor… Com eles alimentou a nossa bela filha de 23 anos. Estou muito grato pelos seios de minha mulher e por sua saúde.

– Já sei. Suponho que também usa a fita para honrar a sua filha.

– Não. É muito tarde para isto. Minha filha morreu de câncer de mama, faz um mês. Ela pensou que era muito jovem para ter câncer de mama. E assim, quando acidentalmente percebeu um pequeno nódulo, ignorou. Ela pensou que como não a incomodava e nem doía, não havia porque se preocupar.

Comovido e envergonhado, o jovem disse:              – Sinto muito meu senhor!

Ao que o senhor respondeu:

– Portanto, em memória de minha filha eu uso esta fitinha rosa, com muito orgulho! Isto me dá oportunidade de falar com os outros. Quando voltar para casa, fale com sua mãe, esposa, filhas, irmãs e amigas.

– Tome… o homem buscou uma outra fita rosa em seu bolso e passou para o amigo que o ouvia com os olhos marejados de lágrimas.

Ele a pegou, levantou-se, agradeceu e perguntou:

– O senhor poderia ajudar-me a colocá-la?

Com esta mensagem, gostaríamos de passar um alerta a todas as mulheres sobre a necessidade de fazer o auto exame frequentemente e, uma vez por ano, o teste de mamografia.

Que o Senhor lhes conceda saúde!

 

Em Cristo, Sandoval Juliano – O Presbítero – 08.12.2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *