A Família deve ter a Primazia?

Compartilhe

 

Na nossa coluna “Pensamento do dia”, eu publiquei a seguinte frase: “Não há sucesso que compense o fracasso de uma família”.

No espaço destinado a comentários postei a seguinte consideração: 

Tirei este fim de semana, emendado com o feriado(de 19 a 21 de abril/2009), para ficar com minha família, exclusivamente, sem nem sequer atender telefone, nem telefonar para ninguém. Brincamos, nadamos, andamos à cavalo, assistimos filmes juntos, almoçamos, tomamos sorvete e nem mesmo ao meu site eu acessei. Tenho uma meta: “Se eu conseguir ganhar minha esposa e minhas filhas, me considerarei um homem realizado” Em Cristo, Pb. Sandoval Juliano.

Logo a seguir surgiram dois comentários. O primeiro foi postado pelo irmão Ricardo de Souza Lima, do Setor de Mansões JK, e o segundo comentário foi postado pelo Eliézio, diácono e líder do departamento de varões de nossa igreja (na QNQ 02).

Como os dois comentários foram muito ricos, resolvi abrir esta página para publicá-los e deixar este espaço aberto para falarmos sobre este tema, uma vez que na coluna “pensamento do dia”, publicarei outros temas, diariamente.

1º comentário:

Um consultor, especialista em ‘Gestão do Tempo’, quis surpreender a platéia durante uma conferência. Tirou de baixo da mesa um frasco grande, de boca larga. Colocou-o sobre a mesa, ao lado de uma pilha de pedras do tamanho de um punho, e perguntou:

– Quantas pedras vocês acham que cabem neste frasco?

Após algumas conjecturas dos presentes, o consultor começou a colocar as pedras, até encher o frasco. Perguntou, então:

– Está cheio ?

Todos olharam para o frasco e disseram que sim. Em seguida, ele tirou um saco com pedrinhas bem pequenas debaixo da mesa. Colocou parte das pedrinhas dentro do frasco e agitou-o. As pedrinhas penetraram pelos espaços encontrados entre as pedras grandes. O consultor sorriu, com ironia, e repetiu:

– Está cheio?

Dessa vez, os ouvintes duvidaram:

– Talvez não…

– Muito bem ! Exclamou o palestrante. Em seguida ele pegou um jarro, e começou a jogar água dentro do frasco, que absorvia a água, sem transbordar, até enche-lo totalmente.

Deu por encerrada a experiência e perguntou:

– Bom, se estamos falando sobre administração de nosso tempo, o que acabamos de demonstrar?

Um participante respondeu:

– Que não importa o quão cheia está a nossa agenda, se quisermos, sempre conseguiremos fazer com que caibam outros compromissos.

– Não ! – concluiu o especialista. O que esta lição nos ensina, é que, se não colocamos as pedras grandes primeiro, nunca seremos capazes de colocá-las depois.

E quais são as grandes pedras nas nossas vidas?

São os nossos filhos, a pessoa amada, a família, os amigos, os nossos sonhos, a nossa saúde.

O resto é resto e encontrará o seu lugar.

(texto recebido pela internet – sem autor  e postado nesse site pelo irmão Ricardo Souza Lima)

 

2º comentário:

Umas das mais belas concepções referente a familia que já ouvi é esse seu comentario, (“Se eu conseguir ganhar minha esposa e minhas filhas, me considerarei um homem realizado”)   Nele encontro um grande horizonte que nos faz refletir e ter a convicção que nossa familia é o que temos de grande valor, nessa terra as demias coisas as conquistamos em função dela, por ela e para ela.

(postado por Eliézio)

 

O que você acha de dar à família a primazia?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *