Sobre o divórcio – Texto I

Compartilhe

Por que o Senhor Jesus afirmou que o “que Deus ajuntou não o separe o homem”?

Jesus pretendia afirmar que em hipótese alguma o casamento deve ser dissolvido?

A Lei 6.515/77, no art. 2º, parágrafo único diz: “O casamento válido somente se dissolve pela morte de um dos cônjuges ou pelo divórcio”

Será que Deus não previu a possibilidade de um relacionamento se tornar inviável ainda que não houvesse infidelidade conjugal?

Na verdade, a revelação bíblica do pensamento de Deus em relação a este assunto se dá no sentido de que Deus ao fazer o homem, fez apenas um. Um em espírito – Ml 2:15 . Vivemos em corpos exclusivos, mas temos, cada um de nós, a nossa “cara metade”. O casamento é a providência divina para unir as duas partes que estão separadas por corpos físicos. Por essa razão o Senhor afirmou que “deixará o homem seu pai e sua mãe e unir-se-á à sua mulher e serão ambos uma só carne”. No casamento acontece a união de corpos e de espírito. Uma fusão que tem o aspecto de complementação.

Vemos que, analisando o casamento por esse prisma, entenderemos o que está dito em Ml 2:16  . Deus odeia o repúdio, por que o repúdio é uma insubmissão ao projeto divino; é uma demonstração da falta de confiança em Deus. Por mais que meu relacionamento esteja em crise, quando eu entendo que o casamento é a providência divina para a união de alguém que foi feito para mim e eu para este alguém, jamais vou querer admitir o divórcio, certo que o Senhor é poderoso para fazer renascer o amor e o sentimento que murchou.

Infelizmente o coração do homem está sempre inclinado para a desobediência aos princípios divinos. Se não fosse assim, o homem só se casaria quando entendesse ter encontrado a pessoa que o Senhor preparou para este fim. E, não me diga que não tem como saber, porque tem sim.

É apenas uma questão de aceitar a autoridade divina sobre todas as questões de nossa vida. É uma questão de não ver a Bíblia apenas como um livro religioso, mas de aceitá-la como a Palavra de Deus.

Não importa o que a Constituição brasileira ou a francesa diz; não importa o que diz a psicologia moderna; não importa o que dizem as estatísticas; não importa o que dizem os especialistas em casamento, mas que não se orientam pela Palavra de Deus. O que importa é que nos curvemos à Deus e recorramos à sua Palavra, que é a Bíblia Sagrada, nosso manual do fabricante, e dela obtenhamos a orientação.

Se foi Deus quem ajuntou, não o separe o homem, por que quando quebramos paradigmas; quando nos insurgimos contra o eterno Plano de Deus, certamente o divórcio será um mal necessário. Mas, O Senhor será testemunha contra ti… Ml 2:14 .

Em Cristo, Pb. sandoval Juliano.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *