Fazer Tatuagem é Pecado?

Compartilhe

 

Texto enviado por e-mail pelo irmão Eduardo Alves, obreiro da igreja Comunidade Cristã Paz e Vida de São Paulo. 

Temos que entender a Palavra sagrada no seu original e não tirar conclusões precipitadas.

Há muito tempo que ouço a discussão acerca de tatuagens no meio cristão. Todavia, nunca tinha me concentrado para comentar a respeito do assunto. É preciso que se diga, antes de tudo, que a Bíblia deve ser a nossa “regra de fé e prática”. Não podemos delimitar nossas escolhas segundo os nossos “achismos” e “preconceitos”. Muito do que pretendo aqui abordar tem sido interpretado por muitos à luz desses pressupostos, o que é inaceitável para um cristão genuíno, que ama a Palavra de Deus e o Deus da Palavra. Gostaria de contribuir na discussão acerca do uso de tatuagem no meio cristão. O motivo para tal partiu de um questionamento que um amigo me fez: “Fazer tatuagem é pecado segundo Levíticos 19:28?” Vamos analisar a questão por partes.

1. O que é Pecado?

O pecado pode ser definido como rebeldia à vontade de Deus. Ou seja, diante do que o Senhor Deus ordena escolhemos o contrário. Todo pecado é transgressão da vontade santa de Deus. Quando Deus disse a Adão “[…] da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás” (Gênesis, 2:17), ele deixou claro a sua vontade. Ela exigia, para o bem do homem, obediência ao seu ordenamento. Quando Eva foi tentada pela serpente houve a transgressão da vontade de Deus. O texto nos diz que “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu, e deu também ao marido, e ele comeu” (Gênesis 3:6 – grifo nosso). Eva cobiçou o proibido dando àquela árvore adjetivos que eram contrários à vontade de Deus. Todo pecado se caracteriza num julgamento bom do que Deus afirma ser mal. Por isso, na essência de todo pecado existe a independência do pecador, que se acha senhor de sua vida e dos seus juízos. Como bem definiu Kivitz (2003, p. 97) “Pecado é um estado de rebelião contra Deus, uma recusa de submissão, uma pretensão de autonomia (ser lei para si mesmo) em relação a Deus”.

Todos temos as nossas preferências, porém aquilo que não gostamos não implica necessariamente em pecado. Algumas pessoas que conheço não comem determinados alimentos e condenam aqueles que comem. A conduta cristã deve está pautada na Bíblia. Caso contrário, cairemos no mesmo erro dos falsos mestres de Colossos. Estes tentavam enganar os cristãos com as suas filosofias e vãs sutilezas (Colossenses, 2:8). Só podemos generalizar uma preferência pessoal caso esteja fundamentada numa ordem Bíblica. Essa é uma das regras fundamentais da hermenêutica Bíblica. O que é universalizado sem fundamento Bíblico é fruto de egoísmo.

Diga-se de passagem, que, infelizmente, muitos estão sobre as cadeias de líderes egoístas, que formulam seus padrões de santidade, aquém da Bíblia, e não acreditam na nova vida dos seus liderados. Talvez seja por isso que questões contemporâneas como a tatuagem entre os cristãos seja tão incompreendidas. Vamos ver o que a Bíblia tem a dizer acerca do tema em questão.

2. Levíticos 19:28 condena tatuagem?

Algumas traduções da Bíblia traduzem o texto de Levíticos 19:28 de modos distintos, vejamos:

Revista e Atualizada:
“Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o Senhor” (Grifo nosso).

Nova Versão Internacional (NVI):
“Não façam cortes no corpo por causa dos mortos, nem tatuagens em si mesmos. Eu sou o SENHOR” (Grifo nosso).

Para entendermos qual a tradução que melhor traduz o texto precisamos trazer à tona o motivo de Deus ter ordenado o seu povo a não praticar as ações que o texto explicita. Os pagãos – aqueles que viviam sem Deus – tinha como parte da sua liturgia aos seus deuses a escarnificação dos seus corpos como forma de honrar os seus deuses e os mortos (BÍBLIA NOVA VIDA, 1990). Um exemplo dessa ação pode ser vista no confronto de Elias com os profetas de Baal. O texto descreve a atitude dos servos de Baal da seguinte forma: “E eles clamavam em altas vozes e se retalhavam com facas e com lancetas, segundo o seu costume, até derramarem sangue” (1 Reis, 18:28). O Senhor dá o mandamento justamente para prevenir o seu povo contra as práticas supersticiosas e idolatras dos pagãos. Logo, é nesse contexto que se deve interpretar Levíticos 19:28. Daí, as marcas no corpo dos pagãos eram uma forma de idolatria e não um capricho artístico.
“As palavras do texto do verso 28 são: não façam (nathan) sareteth, incisão, corte, talho, na vossa carne pelos mortos, nem fareis (nathan) qa’aqa kethobeth, incisão, corte, marca feita a ferro em brasa sobre vós. O texto aqui se refere claramente a escarnificação, rasgar ou lacerar a carne, com o intuito de agradar aos deuses, ritual feito por inúmeras religiões pagãs”.

Podemos concluir que a tradução da palavra “tatuagens” feita pela NVI não seja das melhores para o texto, uma vez que parece transparecer mais o posicionamento dos tradutores acerca da questão do que o que o texto original revela.  Portanto, Levíticos 19:28 é uma exortação contra o cerimonialismo pagão que não deve ser adotado pelo povo de Deus.  O uso de tatuagem não é universalmente feito com o objetivo de culto. Sabemos daqueles que firmam pactos com o seu deus através de marca no seu corpo, todavia não podemos generalizar o mesmo objetivo para todo aqueles que possuem uma tatuagem.

3. De que forma a tatuagem pode se tornar pecado?

Como já foi dito acima, o pecado é rebeldia contra vontade de Deus. Assim, qualquer que seja o meio, quando ele nos distância da vontade do Senhor estamos em pecado. Mas, como a tatuagem pode nos afastar da vontade do Senhor? A verdade é que, culturalmente, muitos dos nossos irmãos se escandalizariam caso usássemos tatuagens. Talvez alegassem motivos para praticarem males contra o seu corpo, o que não é vontade deDeus.

Sendo assim, precisamos ter em mente o princípio do amor cristão. Em muitos casos, para o bem dos nossos irmãos, o melhor seria não fazer uma tatuagem. Como disse o apóstolo Paulo aos Coríntios: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” (1 Coríntios, 6:12). No mesmo contexto ele nos exorta, dizendo: “[…] não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? (v. 19). E encerra dizendo: “[…] Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo”.

Temos visto atualmente igrejas onde seus líderes têm feito tatuagens em seus corpos.  Devemos nos perguntar: com que finalidade essas tatuagens são feitas? Pelo relatos deles é uma maneira de enfatizar a instituição e os seus mentores. Onde está Deus? Será que nesse caso o texto de Levíticos 19:28 não se aplica?

Espero ter contribuído no entendimento de todos vocês que desejam viver o que a Bíblia ensina, longe dos “achismos” e dos “preconceitos”.

A GLÓRIA SOMENTE A DEUS! A PAZ SEJA CONVOSCO! – Eduardo Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *