Por que a PERVERSÃO SEXUAL é tão rigorosamente punida por Deus? – Texto I

Compartilhe

 

                   E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia; 

                  Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno. 

Epístola de Judas, versículos 6 e 7.

A ORIGEM DA PERVERSÃO SEXUAL

               O corpo humano foi criado com padrões normais de sexualidade. Existem partes específicas para o estímulo e para a prática do ato sexual. O ato sexual visa a procriação e visa uma maior integração e união entre os cônjuges, proporcionando-lhes refrigério e sensação de prazer.

               Acontece que além dos neurônios, que conduzem os estímulos de determinadas partes do corpo ao cérebro e este, como resposta, incentiva a liberação de hormônios que produzem a sensação de prazer, o ser humano tem, também, A MENTE.

               A associação de todas estas partes e funções com a mente, pode resultar em um comportamento sexual sadio, onde as partes sentem prazer, mesmo observando-se os padrões normais de sexualidade, que na nossa linguagem cristã, chamamos de “limites estabelecidos por Deus”, ou, esta associação pode resultar em comportamentos totalmente fora dos padrões, como meio de se sentir prazer.

               A mente de uma pessoa pode ser influenciada por uma série de fatores, de circuntâncias, de sensações experimentadas em momentos de agressão ou de descoberta. Falo de agressão, aquela imposta por alguém, consciente e maldosamente, no caso da prática de atos libidinosos por alguém maior ou superior, ou da agressão  causada por alguém que em nome de uma tradição, de uma religiosidade ou de um tabu, impôs de forma inconsciente.

               Quando uma criança/adolescente, sob a influência de um sistema religioso, por exemplo, sofre algumas inexplicadas proibições, tais como: Não poder ver sites ou revistas pornográicas, ela se sentirá compelida a ver aquilo a que foi proibida, exatamente porque a proibição aguça a curiosidade.

               Uma vez diante de uma revista ou de um site pornográfico que apresenta atitudes e comportamentos fora dos padrões normais de sexualidade, mas com expressões fortes de prazer, a mente dessa criança/adolescentes criará a idéia de que só é possível sentir prazer quando aquele comportamento ali presenciado, for observado.

               Assim, a perversão sexual, nem sempre é resultado da maldade da pessoa que a pratica.

               Este é, apenas, um exemplo do que pode acontecer com a mente de uma pessoa e o que pode influenciar alguém a sentir prazer naquilo que convencionalmente é impróprio, inadequado, errado.

               Quanto mais instrução, quanto mais informações e menos proibição, menos comportamentos pervertidos teremos na siciedade.

               Bem, isto só é verdadeiro se a instrução for baseada no ensinamento da Palavra de Deus. O problema da sociedade atual é que informa mais, instrui mais, porém, não de acordo com as verdades bíblicas, ou seja, não de acordo com a vontade de Deus.

               Concluindo, vimos que a origem da perversão sexual, em muitos casos, é resultado, ou de uma agressão imposta por alguém ou por um sistema, somado com a falta de instrução baseada na Palavra de Deus.

               No texto II, veremos porque Deus se ira tanto com a perversão a ponto de destruir cidades, como aconteceu com Sodoma e Gomorra, dos tempos bíblicos e, Pompéia, na Itália, no início da era cristã.

Em Cristo, Ev. Sandoval Juliano – 28.01.2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *