SAMUEL – VIDENTE OU PROFETA?

Compartilhe

 

No texto bíblico de 1 Samuel, capítulo 9, diz-se do profeta Samuel que ele era vidente e existe até uma nota de rodapé que foi acrescentada ao texto explicando que antigamente aos profetas chamavam de vidente.

Ø 1 Samuel 9:9 – (Antigamente em Israel, indo alguém consultar a Deus, dizia assim: Vinde, e vamos ao vidente; porque ao profeta de hoje, antigamente se chamava vidente).

Saul quando já estava desistindo de procurar pelas jumentas de seu pai, foi instigado pelo seu companheiro a procurarem o vidente Samuel para que ele pudesse indicar porque caminho deveriam seguir para encontrarem as jumentas perdidas. Analisaram, ate mesmo os recursos financeiros que possuíam, porque entendiam que não se deve consultar a um vidente sem dar a ele um pagamento por seu serviço.

Então eu gostaria de convidar aos meus leitores a analisarem juntamente comigo se Samuel era realmente um vidente, ou se ele era profeta, ou ainda se ele era vidente e profeta.

DEFINIÇÃO DAS PALAVRAS PROFETA E VIDENTE

Ø PROFETA – Aquele que foi escolhido pelo Senhor para ser o Seu porta-voz. Aquele que fala as palavras de Deus impulsionado pelo Espírito Santo.

Ø  VIDENTE – Aquele que faz uso de poderes sobrenaturais para adivinhar o passado e predizer o futuro. Pessoa que tem enorme intuição, que faz adivinhações supostamente por visão sobrenatural.

um profeta é um vidente? – Em certo sentido, sim, porque ao profeta Deus dá sonhos, visões e revelações, até mesmo de coisas corriqueiras. 

QUAIS AS DIFERENÇAS BÁSICAS ENTRE PROFETA E VIDENTE?

Ø O ministério profético é algo administrado pelo Espírito Santo. O Espírito pode dar uma mensagem ou não. Ou seja, haverá momentos em que o profeta, apesar de ser homem de Deus, não vai profetizar, porque Deus não lhe terá dado uma mensagem e ele não vai falar o que Deus não lhe mandou falar, ainda que fruste a expectativa do público presente.

ØØ O vidente é aquela pessoa que se sente na obrigação de dar uma palavra, uma resposta, uma vez que ele não quer desapontar as pessoas que o procuraram e que esperam dele uma solução. Ele não tem compromisso com a Palavra, mas com o interesse das pessoas.

Ø A mensagem profética tem como característica o alcance coletivo. Em geral, o profeta de Deus é aquele que dirige a mensagem de Deus ao povo. Seu ministério é abrangente. Não é um ministério voltado a atender a necessidade de “uma pessoa”. Quando a palavra é dirigida a uma pessoa, a mensagem entregue tem sempre uma relação com a obra de Deus e não com problemas pessoais. A profecia não e de uso particular e não serve ao propósito de trazer soluções aos problemas pessoais que não estão diretamente relacionados à obra de Deus, uma vez que a profecia é uma ferramenta do Espírito Santo para a edificação do corpo de Cristo, a Igreja.

ØØ O vidente tem sempre uma resposta aos anseios pessoais. Ele se preocupa em elucidar fatos e apontar saídas paa os problemas corriqueiros, ainda que esses problemas não estejam de forma alguma relacionados à realização da obra de Deus.

Ø O profeta, nem sempre faz previsões. Sua mensagem pode ser exortativa ou admoestativa. Em algumas ocasiões os profetas agiram como intérpretes dos acontecimentos históricos à luz da revelação divina. É frequente lermos relatos de profetas que disseram que o Senhor lhes falou ao ouvido, sem que eles tivessem tido uma visão naquele momento como em 1 Sm 9:15 .

ØØ  O vidente é aquele que tem capacidade especial de se ver na dimensão espiritual e prever eventos futuros, ou seja, vidente é aquela pessoa que percebeu que tem uma intuição mais aguçada e que administra isso por sua própria conta, fazendo disto, na maioria das vezes, sua fonte de lucros.

Ø  No Judaísmo, o profeta é alguém que é capaz de prever acontecimentos futuros com perfeita acuidade e precisão ímpar e em função da seriedade do seu minisério é merecedor da maior admiração. Porém o vidente, possuidor de habilidade aparentemente idêntica, é na melhor das hipóteses visto com apreensão.

Ø  A diferença está na fonte destes poderes espirituais. Os poderes de um profeta não brotam de seu interior. É um influxo Divino que vem de fora, do alto. Uma experiência profética ocorre independentemente do profeta; ele é um mero condutor para ela. Os poderes são gerados e desencadeados pela vontade de Deus. O profeta deve preparar-se para a eventualidade, mas ele não passa de um veículo para a manifestação da Vontade Divina.

ØØ Por outro lado, a fonte das habilidades de um vidente é interior. Sua intuição espiritual origina-se dentro dele mesmo. Devido a esta dessemelhança, existe uma clara distinção de qualidade entre o vidente e o profeta. Enquanto que o profeta distingue-se como um homem de extrema humildade, o traço de caráter predominante em muitos videntes é o egoísmo, orgulho e muitas vezes arrogância.

Ø Uma característica fundamental do profeta é que ele não aceita pagamento pelo que fez ou pelo que falou, uma vez que ele reconhece que não está nele esta capacidade, ou seja, que não foi ele, por seus méritos e talentos, quem produziu o resultado apresentado.

ØØ  Já o vidente, não, ele espera e na maioria das vezes exige uma recompensa pelo trabalho prestado porque reconhece que o resultado apresentado é fruto do seu trabalho e do seu talento.

Na prática, dentro as igrejas, o que acontece é que quando uma pessoa é usada por Deus com um dom especifico, seja de profetizar, seja de curar, sejam visões ou revelações, as pessoas passam a tratá-lo como um “ser especial” e passam a procurá-lo insistentemente esperando receber dele uma palavra ou uma orientação para seus problemas pessoais. Se a pessoa que foi usada por Deus não tiver maturidade espiritual termina se sentindo na obrigação de antender a esses anseios e começa a forçar a barra para trazer as respostas que procuram. De repente, essa pessoa descobre que tem habilidade de administrar o seu poder psíquico e investe nisto, buscando uma habilidade cada vez maior e termina deixando de ser um vaso nas mãos de Deus e passa a ser um vidente.

Em muitos casos, a pessoa se torna um picareta e forja visões e revelações que não estão existindo. Como na maioria dos casos ele acerta e as pessoas demonstram profundo interesse por este tipo de prática, o picareta nada de braçadas manipulando os dons espirituais a seu bel prazer. E o pior, com a permissão de Deus!

SAMUEL ERA PROFETA OU VIDENTE? OU AS DUAS COISAS AO MESMO TEMPO?

Pelos relatos bíblicos, Samuel era PROFETA de Deus. E, na qualidade de profeta transmitiu mensagens divinas para a nação de Israel, liderou e conduziu um importante momento histórico da nação. Foi samuel, inclusive, quem iniciou aquilo que chamamos de ministério profético em Israel. Ou seja, na qualidade de profeta, ele liderava o povo, resolvia problemas de ordem política, influenciava os governates na resolução de problemas e tomadas de decisão.

No entanto, vimos no capítulo 9 Samuel sendo tratado como vidente, a ponto de as pessoas que o procuravam se preocuparem com o quanto teriam que pagar por uma consulta espiritual.

Ø 1 Samuel 9:6 – Porém ele lhe disse: Eis que há nesta cidade um homem de Deus, e homem honrado é; tudo quanto diz, sucede assim infalivelmente; vamo-nos agora lá; porventura nos mostrará o caminho que devemos seguir.

Isto parece um contrate muito grande com a seriedade de Samuel e com a importância que teve seu ministério perante a nação de Israel. O texto sugere que Samuel passou a receber pagamento pelas consultas que fazia.

Ø  1 Samuel 9:7,8 – Então Saul disse ao seu moço: Eis, porém, se lá formos, que levaremos então àquele homem? Porque o pão de nossos alforjes se acabou, e presente nenhum temos para levar ao homem de Deus; que temos? E o moço tornou a responder a Saul, e disse: Eis que ainda se acha na minha mão um quarto de um siclo de prata, o qual darei ao homem de Deus, para que nos mostre o caminho

Ø  Dissemos a pouco que até mesmo homens de Deus podem se perder no exercício de seus ministérios. Alguém que era usado por Deus perde sua visão ao se preocupar em atender aos anseios daqueles que ávidamente procuram por uma profecia ou revelação. Pastores vocacionados e chamados por Deus podem se tornar funcionários da igreja. Pregadores ungidos para o ministério da Palavra podem se tornar profissionais do púlpito. Cantores ungidos para a ministração do louvor fazem disso uma rica fonte de lucros…

É preciso que se saiba, também, que é possível um homem de Deus fazer mau uso do dom espiritual e ainda assim continuar sendo homem de Deus. A unção permanece e Deus pode acionar aquela pessoa para a realização de uma obra de Seu interesse no Seu reino. Mas, isto não significa que Deus esteja aprovando e autenticando o desvio comportamental daquela pessoa.

Com isto queremos dizer que nem sempre que uma pessoa revela ou profetiza, mesmo sendo homem ou mulher de Deus, está revelando ou profetizando pelo Espírito do Senhor. A pessoa pode estar fazendo uso de suas habilidades psicológicas em nome de Deus e pode causar efeitos positivos ou negativos no exercício dessa habilidade.

E, quanto a Samuel, teria ele se tornado um vidente? Teria ele se perdido no exercício do seu ministério e teria passado a fazer uso de suas habilidades psíquicas, fazendo disto uma fonte de lucros? Teria Samuel se aproveitado da carência do povo e se tornado um vidente, aquele que faz adivinhações, ainda que bem intencionado, mesmo sabendo do mandamento exarado em Deuteronômio de que Deus não aprovava o exercício da vidência, a prática da adivinhação?

Ø Deuteronômio 18:10 – Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro;

Ø Deuteronômio 18:11 – Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos;                   

Ø Deuteronômio 18:14 – Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa.                   

A resposta bíblica para esta pergunta é NÃO – Samuel não se tornou um vidente. Se ele tivesse se tornado vidente teria recebido do povo algum tipo de pagamento pelo seu trabalho. Veja o que ele mesmo disse na sua despedida, no momento em que ele transferiu a liderança da nação para o rei Saul.

Ø 1 Samuel 12:2 – Agora, pois, eis que o rei vai adiante de vós. Eu já envelheci e encaneci, e eis que meus filhos estão convosco, e tenho andado diante de vós desde a minha mocidade até ao dia de hoje.

Ø 1 Samuel 12:3 – Eis-me aqui; testificai contra mim perante o SENHOR, e perante o seu ungido, a quem o boi tomei, a quem o jumento tomei, e a quem defraudei, a quem tenho oprimido, e de cuja mão tenho recebido suborno e com ele encobri os meus olhos, e vo-lo restituirei.

Ø 1 Samuel 12:4 – Então disseram: Em nada nos defraudaste, nem nos oprimiste, nem recebeste coisa alguma da mão de ninguém.

Saul e seu companheiro eram homens carnais, nem sequer conheciam o grande líder, profeta, juiz e sacerdote de seu tempo e não tinham entendimento das coisas de Deus. Em função disto, e, muito provavelmente, eles acharam que Samuel fosse mais um adivinho como outros que eles conheciam ou já tinham ouvido falar. Por essa razão se preocuparam em quanto teriam no bolso para que pudessem pagar por uma consulta ao profeta Samuel.

Vejam que Samuel não lhes cobrou nada, não se deteve na questão das jumentas, apesar de ter dado a eles uma palavra tranquilizadora e entregou a Saul a mensagem de Deus que o relacionava ao Seu plano, à Sua obra. O profeta Samuel não tratou de interesses e questões pessoais de Saul, mas, o ungiu rei sobre Israel e lhe falou as palavras que ele precisava ouvir e não as que ele queria ouvir.

Portanto, Samuel não era vidente, apesar de assim ter sido chamado ou de terem achado que ele era. Samuel era profeta do Senhor.

Em Cristo, Sandoval Juliano – 25 de julho de 2013.

 

                                                                                                              

Fontes de consulta:

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao1-3t10-mpb-oministerioprofeticonabiblia.htm

http://www.chabad.org.br/interativo/faq/videntes.html

http://bdm.bce.unb.br/bitstream/10483/2097/1/2011_LarissaCostaDuarte.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *