A Atividade Profética Segundo a Bíblia – Parte 3

Compartilhe

 

Encerramos o estudo passado mostrando textos nos quais Jesus afirmou que a Lei e os Profetas duraram até João, levando-nos a entender que o MINISTÉRIO PROFÉTICO do Antigo Testamento encerrou em João Batista

Em seguida perguntamos se Deus não fala mais em nossos dias através da atividade profética e dissemos que – SIM. Porém, entendemos que o MINISTÉRIO PROFÉTICO foi substituído pelo DOM MINISTERIAL de profeta e pelo DOM ESPIRITUAL da profecia.

O que encontramos no Novo Testamento sobre a atividade profética?

I. NOS DIAS DA IGREJA PRIMITIVA AINDA HAVIA REMINISCÊNCIA DO MINISTÉRIO PROFÉTICO

          Ø Atos 11:27 – E naqueles dias desceram profetas de Jerusalém para Antioquia.

          Ø Atos 15:32 – Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras.

        Ø Atos 21:10, 11 – E, demorando-nos ali por muitos dias, chegou da Judéia um profeta, por nome Ágabo; E, vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo, e ligando-se os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim ligarão os judeus em Jerusalém o homem de quem é esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios.

         Ø Atos 21:9 – E tinha este quatro filhas virgens, que profetizavam.

          Portanto, vimos que algumas pessoas, no início da igreja primitiva ainda foram consideradas, até mesmo pelos apóstolos, como profetas ou profetisas. A igreja ainda tinha em mente a memória recente do Ministério Profético e ainda o admitia.

         Porém, quando a igreja vai se consolidando e criando corpo, com estrutura de culto, liturgia e administração eclesiástica, a Ministério Profético vai deixando de ser observado e praticado, porque não havia mais espaço para ele, uma vez que o Espírito Santo foi desenhando um novo modo de atuar entre o povo de Deus.

          O espírito de profecia, se é que podemos assim chamá-lo, passou a se manifestar através da pregação da Palavra, com manifestações de sinais e prodígios, curas e maravilhas.

          Desta forma, a partir das epístolas de Paulo e demais apóstolos, desapareceu o Ministério Profético e a atividade profética passou a se desenvolver de outra forma. Surgiram no seio da igreja de Cristo os dons ministeriais e espirituais, como ferramentas concedidas pelo Espírito Santo para a manifestação da direção de Deus e operação do Seu poder no meio do Seu povo. Os apóstolos, como primeiros mestres do Cristianismo, se preocuparam em ensinar e estabelecer um padrão do entendimento que receberam do Espírito Santo, para que a Igreja executasse de forma correta a atividade profética.

II. O QUE O NOVO TESTAMENTO FALA SOBRE A ATIVIDADE PROFÉTICA NA FORMA DE DOM MINISTERIAL?

Ø Efésios 4:11, 12 – E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;

            1. Os dons ministeriais são capacitações especiais que o Espírito Santo concede a algumas pessoas para exercerem a liderança e condução da obra de Deus, através da Igreja, de acordo com o projeto estabelecido por Deus.

                  a. Veja que eu disse que sãos dons que o Senhor concede a algumas pessoas. Quando falarmos sobre os dons espirituais diremos que são dons que o Senhor concede a todas as pessoas que buscam por eles.

                   b. Em 1 Coríntios 14:31, quando Paulo fala do dom de profecia ele disse: “Todos podereis profetizar”. Já em 1 Coríntios 12:29, quando ele fala do dom ministerial ele pergunta: “São todos profetas?” 

         2. Nenhum desses dons listados em Efésios 4:11 é resultado de aprendizado adquirido em um seminário. Um curso teológico e de formação de obreiro ajuda ou capacita o obreiro a manejar melhor “a espada da verdade”, mas não o dota de dom para o exercício ministerial. 

             3. Os dons ministeriais são, todos eles, igualmente úteis para o crescimento e desenvolvimento espiritual da igreja como corpo de Cristo;

            4. Entre esses dons aparece o dom ministerial de profeta. Este é dom pelo qual a pessoa que o possui é inspirado por Deus para trazer e traduzir a mensagem de Deus para a igreja, em conformidade com as Escrituras Sagradas.

        5. À semelhança do profeta do Antigo Testamento, o profeta da Nova Dispensação é um pregador especial, com mensagem especial. Sua mensagem como flecha, apela à consciência do ouvinte em relação a Deus, à sua situação pecaminosa e à necessidade de conversão.

             6. Nos dias da igreja primitiva, Judas e Silas eram pregadores eloquentes e foram chamados de profetas

Ø Atos 15:32 – Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras. 

          7. Vimos, por este texto bíblico que o profeta no contexto neo testamentário, é aquele que auxilia o pastor na condução do rebanho, anunciando a Palavra com ousadia e dando aos textos sagrados a devida e sábia interpretação, exortando, edificando e consolando a Igreja de Cristo.

               a. Assim como a igreja precisa do pastor para arrebanhar; do mestre/doutor para instruir e elucidar questões doutrinárias e teológicas; do evangelista que ganha almas, do apóstolo que abre novas frentes de trabalho, precisa, também, do pregador, que incendeia os corações, que transmite a revelação e visão da palavra.

                       b. Todos os dons ministeriais são complementares.

No próximo texto estudaremos sobre a atividade profética como DOM ESPIRITUAL DA PROFECIA

Em Cristo, Sandoval Juliano – 12.02.2014.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *