Dia Nacional do Evangélico

Compartilhe

 

Em 1995, o então deputado distrital Carlos Xavier, apresentou o Projeto de Lei nº 474/1995 que tramitou na Câmara Distrital e que se tornou Lei, criando em Brasília o Dia do Evangélico. Trata-se da Lei nº 893, de 27 de julho de 1995 que instituiu o dia 30 de novembro como Dia do Evangélico no Distrito Federal. Esta Lei declarava ponto facultativo em todo o Distrito Federal e foi sancionada pelo então governador Cristovam Buarque. Esta data passou a fazer parte do calendário comemorativo oficial do Governo do Distrito Federal.

Esta idéia se espalhou pelo Brasil e vários Estados e até municípios também adotaram o dia 30 de novembro como Dia do Evangélico.  

Agora é Lei Nacional. Foi sancionada, em 15 de setembro de 2010 a lei que institui, oficialmente, no Brasil, o Dia Nacional do Evangélico. Esta Lei é resultado do projeto de lei 3541/08, de autoria do deputado do Partido Republicano Brasileiro (PRB-MA), Cléber Verde.

Veja o inteiro teor da Lei que foi publicada no Diário Oficial da União – seção 1 – Edição 178 do dia 16 de setembro de 2010

 

LEI No- 12.328, DE 15 DE SETEMBRO DE 2010 – Institui o Dia Nacional do Evangélico a ser comemorado no dia 30 de novembro de cada ano.

 

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A
 
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
 
Art. 1o Fica instituído o Dia Nacional do Evangélico, a ser comemorado no dia 30 de novembro de cada ano.
 
Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
 
Brasília, 15 de setembro de 2010; 189º da Independência e 122º da República.
 
                             LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
                                 João Luiz Silva Ferreira
 
 
O QUE ESTÃO DIZENDO OS LÍDERES POLÍTICOS E EVANGÉLICOS?
 
01) O coordenador da Frente Parlamentar Evangélica, deputado João Campos (PSDB-GO), comemorou a aprovação e ressaltou que não haverá feriado nessa data, mas um dia para celebrar a espiritualidade de uma parte importante dos brasileiros.
 
02)  É uma iniciativa simpática, mas, todavia, a República nasceu laica e precisa continuar laico. Defendo a separação entre Igreja e Estado para que haja democracia. O presidente precisa despertar para esse aspecto da Constituição — explica o presidente da Catedral Presbiteriana do Rio e da Academia Evangélica de Letras do Brasil, Reverendo Guilhermino Cunha.
 
03) O diretor-geral da Convenção Batista Carioca, Pastor Walmir Vieira, concorda: — Não há necessidade disso. O dia do evangélico é todo dia, quando damos testemunho de uma vida cristã e bonita. Se existe um dia do evangélico, será preciso haver um para os católicos, para os espíritas.
 
04) A pedido do Sr. Delmo Menezes, o texto que aparecia neste ponto foi retirado, uma vez que ele afirma que as palavras aqui publicadas não são se de sua autoria. Vai aqui o nosso pedido de desculpas…
 
E VOCÊ, O QUE ACHA DESTA LEI?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *